hackers

Vazamento pode ter dados do Banco Mundial, Fundação Gates, OMS

Paulo Brito
22/04/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Total é de quase 40 mil registros (com repetições), numa ação que pode ter sido realizada por hacktivistas de extrema direita segundo especialistas da ONG Intelligence Group

Há um vazamento de 39.760 registros com logins e senhas da Fundação Bill e Melinda Gates, Banco Mundial, governo da China, Instituto de Virologia de Wuhan, Organização Mundial de Saúde, Center for Diseases Control e National Institute of Health – descontadas as repetições, são cerca de 26 mil registros. Todas essas organizações estão, de uma ou mais formas, envolvidas no combate à pandemia do novo coronavírus.

A primeira impressão é de que essa ação tenha sido realizada por hacktivistas de extrema direita, opina o Intelligence Group, uma ONG norte-americana que rastreia a atividade on-line de organizações supremacistas e jihadistas brancas. Contudo, a instituição não conseguiu verificar se os dados eram verdadeiros, mas um especialista australiano em segurança cibernética, Robert Potter, disse que conseguiu verificar que os endereços de e-mail e senhas da OMS eram reais.

O CISO Advisor localizou nos seis endereços dos vazamentos os seguintes totais de registros:

  • Banco Mundial 11.989
  • Bil & Melinda Gates Foundation 277
  • CDC 6.857
  • Governo da China 2.113
  • Instituto de Virologia de Wuhan 20
  • Organização Mundial de Saúde 6.835
  • National Instite of Health 11.669

Veja isso
Cibercrime ‘guarda’ vazamentos para chantagear após LGPD
Marriott, novo vazamento: 5,2 milhões de hóspedes

O vazamento aconteceu no último domingo, inicialmente no 4Chan. depois apareceu também no Pastebin, no Twitter e nos canais de extrema-direita do Telegram. Na segunda-feira, vários grupos de extrema direita citaram o fato clamando vitórias e lançando ameaças segundo o jornal The Washington post.  

O NIH, a CDC, a OMS e o Banco Mundial não responderam imediatamente aos pedidos de comentários do Washington Post na terça-feira à noite. A Gates Foundation afirmou em comunicado: “Estamos monitorando a situação de acordo com nossas práticas de segurança de dados. No momento, não temos indicação de violação de dados na fundação.” O FBI se recusou a comentar.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest