Três em cada dez brasileiros foram vítimas de crime cibernético

Da Redação
30/04/2024

Uma pesquisa online no Brasil encomendada à Dynata pela Norton, marca de consumo de segurança cibernética da Gen, revela que três em cada dez brasileiros (32%) relataram ter sido vítimas de alguma forma de crime cibernético nos últimos 12 meses. Em média, cada brasileiro alvo de cibercrime perdeu uma quantia superior a R$ 3 mil.

O levantamento, realizado entre os dias 6 e 22 de março, com 1.013 adultos com 18 anos ou mais, constatou que atualmente a ferramenta maliciosa mais popular utilizada pelos cibercriminosos é o malware. Entre os 32% dos brasileiros que afirmam ter sofrido algum tipo de crime cibernético nos últimos 12 meses, o malware foi detectado em um de seus dispositivos em 29% dos casos. Em seguida vem o acesso não autorizado a uma conta de mídia social (24%) e o acesso não autorizado a uma conta de e-mail (22%).

Adicionalmente, dentre os brasileiros que foram vítimas de alguma forma de cibercrime, cerca de um em cada cinco pessoas (19%) descobriu que as suas informações foram expostas em uma violação de dados.

Outros dados revelados pela pesquisa e que merecem atenção se referem ao roubo de identidade digital, no qual o cibercriminoso obtém e usa indevidamente os dados pessoais de outra pessoa, como nome, número de CPF, informações de cartão de crédito ou outros detalhes de identificação, em geral, para obter ganhos financeiros.

Veja isso
Grupo de SC rouba R$ 100 milhões com golpe de criptomoedas
Hackers aplicam golpes em série contra clientes do Booking.com

Dentre os brasileiros entrevistados, 16% relataram ter sido alvo de roubo de identidade. Destes, mais da metade (55%) teve que perder tempo resolvendo problemas relacionados ao roubo, 40% tiveram que bloquear seus cartões de crédito, 26% perderam acesso às suas contas online e 22% tiveram dinheiro roubado. Além da perda de tempo e dos prejuízos financeiros, os cibercrimes também deixam um rastro de dano emocional. Dentre os que afirmaram ter sido vítimas de roubo de identidade (16%), quase três em cada dez (29%) disseram ter tido dificuldade para dormir depois do episódio e 24% afirmam que sua saúde mental foi impactada negativamente.

Ainda de acordo com o levantamento, 45% dos brasileiros entrevistados afirmam ter sofrido golpes por meio de mensagens nas redes sociais, 44% já tiveram alguém se passando por quem amam, enquanto 35% experienciaram algum golpe fraudulento de pagamento. 

Compartilhar: