writing-1149962_1280.jpg

Google conclui aquisição da Mandiant por US$ 5,4 bilhões

Da Redação
12/09/2022

O Google concluiu nesta segunda-feira, 12, a aquisição da empresa americana Mandiant por US$ 5,4 bilhões, em um movimento que traz a gigante de inteligência em ameaças e resposta a incidentes sob o guarda-chuva do Google Cloud.

As duas empresas anunciaram o acordo — uma das maiores compras do Google — em março, depois que uma suposta compra pela Microsoft fracassou. Seis meses e um processo de acionistas depois, os serviços e produtos combinados das duas empresas prometem ao clientes uma “abordagem mais proativa” para as operações de segurança, de acordo com o CEO do Google Cloud, Thomas Kurian.

“A incorporação da Mandiant Threat Intelligence, que tem equipes de segurança e inteligência em ameaças espalhadas por 22 países, e atendem clientes localizados em 80 países, dará aos profissionais de segurança maior visibilidade e experiência nas linhas de frente”, escreveu Kurian.

“Assim como as equipes de detecção de ameaças e resposta a incidentes da Mandiant, seus recursos de gerenciamento de superfície de ataque e serviço de validação de segurança farão parte do portfólio do Google Cloud”, acrescentou o CEO. Este último usa a inteligência em ameaças da empresa para medir o desempenho dos controles de segurança de uma organização em relação a ataques reais e técnicas de hackers, e atribui a eles uma pontuação com base em sua preparação.

O nome Mandiant será mantido e a empresa continuará a publicar pesquisas de ameaças de forma ampla para o conhecimento de todos e não apenas para os clientes do Google Cloud. A empresa, que foi a primeira a descobrir o ataque cibernético à SolarWinds e atribuí-lo a criminosos patrocinados pelo governo russo, ganhou reputação como uma das principais empresas de inteligência em ameaças.

Veja isso
Justiça manda Capital One entregar laudo de perícia da Mandiant
Acionista da Mandiant quer barrar negócio de US$ 5,4 bi com Google

O fundador e CEO da Mandiant, Kevin Mandia, disse que a aquisição tornará a empresa “mais forte” e protegerá melhor as organizações contra ataques cibernéticos. “Mais especificamente, podemos aproveitar nosso diferencial de inteligência para automatizar as operações de segurança e validar a eficácia da segurança.”

Em uma entrevista anterior ao site The Register, o vice-presidente de segurança do Google Cloud, Sunil Potti, disse que a compra da Mandiant, juntamente com outros investimentos em segurança da empresa, se encaixa no plano número três da provedora de nuvem para conquistar clientes da Amazon e da Microsoft.

A mudança para posicionar o Google como uma “marca em segurança” começou há quase quatro anos, mesmo antes de a SolarWinds marcar o início da era de ataques abrangentes à cadeia de suprimentos de TI corporativa, disse Potti. O objetivo final, no entanto, continua sendo migrar grandes organizações para o Google Cloud.

Compartilhar: