workplace-1245776_640.jpg

Profissionais de segurança dedicam parte do horário de trabalho a hobbies

Levantamento mostra que profissionais de segurança de TI dedicam seis horas da semana de trabalho a atividades de lazer
Da Redação
22/02/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Uma nova pesquisa da empresa global de segurança cibernética Kaspersky descobriu que as equipes de segurança de TI passam mais tempo praticando seus hobbies durante o horário de trabalho do que seus colegas de outros departamentos.

O levantamento, feito com mais de 5.200 profissionais de TI e cibersegurança em todo o mundo, descobriu que o pessoal de segurança de TI dedica seis horas da semana de trabalho a hobbies, o que dá uma hora a mais do que as demais equipes das empresas.

Os pesquisadores descobriram que até 85% dos profissionais da equipe de segurança de TI se envolvem em atividades de “lazer” durante o horário de trabalho, sendo as mais comuns ler notícias (42%), assistir vídeos no YouTube (37%) e assistir filmes ou séries de TV (34%).

Praticar exercícios físicos e se dedicar a literatura profissional foram distrações praticadas por 31% e 33% dos profissionais da equipe de segurança de TI, respectivamente.

Dos 85% dos profissionais que se envolvem em atividades de lazer, quase metade (48%) disse que tal comportamento não era resultado de falta de trabalho ou tédio com as tarefas de suas listas de afazeres. Eles dizem que procuraram deliberadamente se distrair entre as tarefas para dar um descanso à mente.

Veja isso
Mitos da carreira elevam carência de profissionais em cibersegurança
Excesso de alertas e sobrecarga são causas de estresse em profissionais

A pesquisa sugere que as elevadas cargas de trabalho estão causando dispersão nos profissionais de segurança cibernética. Quase metade (46%) dos funcionários de segurança de TI acredita que seus colegas deixaram o emprego por causa das cargas de trabalho pesadas, enquanto 41% dos profissionais dos demais departamentos compartilhavam a mesma opinião.

“Não acho que seja um problema os funcionários se distraírem do trabalho”, disse Andrey Evdokimov, chefe de segurança da informação da Kaspersky, à Infosecurity. “Deve haver controle sobre o desempenho da tarefa, e não quantas horas de trabalho são gastas em um hobby. Além disso, pode ser normal que as pessoas assistam a vídeos, pois podem fornecer informações sobre como resolver um problema.”

Evdokimov dá a entender que tarefas enfadonhas ou a falta de habilidades de gerenciamento podem estar fazendo com que algumas pessoas assistam vídeos de no YouTube durante o trabalho. “Em suma, se o trabalho não for interessante para alguém e houver falta de gerenciamento de tarefas, o funcionário encontrará uma maneira de fazer algo diferente, até mesmo no escritório”, disse.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)