Banco Central do Lesoto enfrenta interrupções após ciberataque

Da Redação
18/12/2023

O Banco Central do Lesoto, um pequeno enclave cercado pela África do Sul, com população de pouco mais de 2 milhões de habitantes, enfrenta graves interrupções em seus sistemas devido a um ataque cibernético descoberto no início da semana passada. O banco divulgou vários comunicados confirmando que um incidente.

“O Banco Central do Lesoto informa o público que, na segunda-feira, 11 de dezembro de 2023, sofreu um incidente de segurança cibernética nos seus sistemas. O banco investigou o assunto e está trabalhando 24 horas por dia para restaurar os sistemas”, disse o banco na terça-feira,12.

“O banco deseja assegurar ao público que não sofreu qualquer perda financeira ou de outra natureza. No entanto, o banco suspendeu alguns dos seus sistemas para evitar novas infiltrações dos atacantes. Consequentemente, alguns pagamentos poderão sofrer atrasos enquanto o banco trabalha para que os sistemas voltem à normalidade”, completou o comunicado.

A instituição divulgou outro comunicado na quarta-feira, 13, juntamente com a Associação de Banqueiros do Lesoto, notificando que o contínuo período de inatividade do Sistema Nacional de Pagamentos “tornou impossível para todos os bancos locais honrar as transações interbancárias no país”.

As equipas técnicas estão trabalhando para resolver a questão, afirmaram a associação de banqueiros e o banco central, mas as autoridades “concordaram em instituir processos e medidas de continuidade de negócios como formas alternativas de facilitar pagamentos e transações entre todos os bancos”. A declaração não especificou quais eram essas alternativas.

Os meios de comunicação locais informaram que, como a moeda do país — o Loti — está indexada ao rand da África do Sul, havia preocupações de que o incidente pudesse afetar a taxa de câmbio. A África do Sul esteve no centro de dois incidentes de cibersegurança que ganharam manchetes neste ano. Em junho, o Banco de Desenvolvimento da África Austral, estatal, confirmou que foi atingido por ransomware.

Veja isso
Maior banco comercial do mundo, chinês ICBC, sofre ciberataque
Banco Central cria medidas adicionais de segurança para o Pix

O Departamento de Defesa do país foi atacado por outra gangue de ransomware em setembro e quase causou um incidente internacional porque ocorreu durante uma já controversa Cúpula do BRICS em Joanesburgo.A gangue vazou o número de telefone e o e-mail do presidente sul-africano, juntamente com uma parte dos 1.6 terabytes (TB) de dados roubados dos sistemas de defesa do país. O governo inicialmente negou o ataque antes de admitir que ocorreu uma violação.

Os grupos de ransomware financeiro são considerados os mais perigosos e normalmente realizam ataques a instituições menores, em geral de pequenos países como Lesoto, como preparação para operações de grande vulto e mais rentáveis. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar: