vmware

VMware planeja unidade de cyber

Paulo Brito
24/08/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Depois de ter anunciado dois dias atrás a intenção de adquirir a Carbon Black por US 2,1 bilhões, o CEO da VWware, Pat Gelsinger, sinalizou ontem para o mercado que a empresa planeja criar uma unidade de negócios de segurança em nuvem. Será uma plataforma em nuvem contendo as tecnologias que a VMware oferece atualmente em suas linhas de produtos AppDefense, Workspace ONE, NSX e SecureState, tudo isso junto com os serviços (também em nuvem) fornecidos pela Carbon Black.
Segundo declarações oficiais da VMware, a Carbon Black é “pioneira na segurança de próxima geração para endpoints. Com mais de 5.600 clientes e mais de 500 parceiros, ela é líderes na detecção e resposta em endpoints. Ela criou um agente leve e inteligente para um amplo conjunto de dispositivos e carga de trabalho de endpoints, com analytics de segurança em big data, construída numa arquitetura escalável e nativa na nuvem”.

A nova unidade, segundo Gelsinger, contará com o Carbon Black integrado ao VMware NSX (um overlay de virtualização de rede) e ao VMware Secure State (um serviço de monitoramento de configuração e segurança em tempo real). A Carbon Black já possui uma aliança com a VMware, integrando seu serviço com o AppDefense, uma plataforma de segurança de Zero Trust que opera sobre o NSX e sobre o VMware vSphere. Gelsinger assinalou que atualmente 30% de todas as vendas relacionadas ao NSX envolvem casos de uso de segurança cibernética.

O CEO da VMware adiantou que a empresa poderá aproveitar seu próprio software de virtualização de desktops e o relacionamento com a Dell para fornecer serviços de segurança para endpoints – nesse caso, os da própria Dell. A Dell, como se sabe, também possui o Dell SecureWorks, um provedor de serviços de segurança.

A VMware informou ao mercado que a Carbon Black tem 5.600 clientes e mais de 500 parceiros globalmente. O serviço da empresa usa algoritmos de aprendizado de máquina para bloquear diariamente mais de 1 milhão de ataques cibernéticos, disse Pat Gelsinger.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest