online-shopping-4516037_1280.jpg

Varejo já é alvo número 1 de ataques de ransomware

Segundo pesquisa da Sophos, varejo se tornou o principal alvo de ataques de extorsão de ransomware e roubo de dados
Da Redação
20/08/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A pesquisa “O Estado do Ransomware no Varejo”, publicada pela Sophos hoje no Brasil, alerta os leitores para a extensão e o impacto dos ataques de ransomware em organizações de varejo de médio porte em todo o mundo durante 2020. Os resultados mostram que as organizações de varejo se tornaram o principal alvo de ataques de ransomware durante a pandemia da covid-19, quando muitos varejistas iniciaram suas operações online. Ao mesmo tempo, aqueles que já faziam e-commerce tiveram um grande aumento em seu volume de transações online. Entre as principais conclusões:

  • Um terço (32%) daqueles cujos dados foram criptografados pagou o resgate. O pagamento médio do resgate foi de US$ 147.811 (inferior à média global de US$ 170.404). No entanto, aqueles que pagaram recuperaram, em média, apenas dois terços (67%) de seus dados, ficando o outro terço perdido. Apenas 9% recuperaram todos os seus dados criptografados.
  • A pesquisa revela ainda que as organizações de varejo são particularmente vulneráveis a uma pequena mas crescente tendência: ataques apenas de extorsão, em que os operadores de ransomware não criptografam arquivos: apenas ameaçam vazar informações roubadas online se o resgate não for pago. Isso aconteceu com 12% das vítimas do varejo, enquanto no restante dos setores econômicos a taxa é de 7% em média. Governos têm uma taxa ainda maior do que o varejo: 13%.

    Veja isso
    Sophos anuncia crescimento de 20% na América Latina
    Segurança já integra inovação, afirma pesquisa

    Outras descobertas importantes do estudo são as seguintes:

    • A área de varejo, junto com a de educação, enfrentou o nível mais alto de ataques de ransomware durante 2020, com 44% das organizações atingidas (em comparação com 37% em todos os setores da indústria);
    • A conta total do varejo para recuperar-se de um ataque de ransomware foi em média de US$ 1,97 milhão em média, no setor de varejo, considerando tempo de inatividade, tempo de pessoal, custo dos dispositivos, custo de rede, lucros cessantes e resgate, entre outros. No restante dos setores a média é de US$ 1,85 milhão;
    • Mais da metade (54%) das organizações de varejo atingidas por ransomware disseram que os invasores conseguiram criptografar seus dados;

    Com informações da assessoria de imprensa

    Compartilhar:

    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no email
    Compartilhar no whatsapp
    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no pinterest