Usuário processa o Twitter por vazamento de dados

Da Redação
16/01/2023

Um usuário do Twitter, morador de Nova York, entrou com uma ação judicial contra a empresa na qual pede US$ 5 milhões de indenização pelo vazamento de dados, descoberto no início deste mês, que, segundo pesquisadores, expôs informações de mais de 200 milhões de usuários. Os dados foram publicados em um popular fórum de hackers e vendido por cerca de US$ 2.

O morador de Nova York, identificado como Stephen Gerber, entrou com o processo na sexta-feira, 13, no Tribunal do Distrito Norte da Califórnia, alegando que seus dados pessoais vazaram depois que as informações foram roubadas por hackers entre 2020 e 2021. Ele entrou com uma ação coletiva, em nome dele e de outras pessoas afetadas pelo vazamento.

Gerber atribuiu o vazamento de dados a hackers que exploravam uma vulnerabilidade na interface de programação de aplicativos (API) do Twitter, que lhes permitia obter nomes de usuários, endereços de e-mail e números de telefone do Twitter.

“O Twitter aparentemente enterrou a cabeça na areia em relação à magnitude dessa exploração de API ou, pior ainda, pode até ter tomado medidas destinadas a ocultar a verdadeira magnitude dessa exploração de API”, diz o processo. “Isso é extremamente problemático porque evidencia que o Twitter , que, até hoje, inexplicavelmente falhou em notificar ou contatar as vítimas dessa exploração de API em particular, se recusa a reconhecer a gravidade do que ocorreu”, diz a petição.

Veja isso
200 milhões de endereços de e-mail do Twitter podem ter vazado
Novo código sugere que Twitter terá mensagens criptografadas

No início de janeiro, a empresa de inteligência em cibercrime Hudson Rock sugeriu que hackers haviam roubado mais de 200 milhões de informações de usuários do Twitter e as publicado em um fórum de hackers online disponível ao público. “Este é um dos vazamentos de dados mais significativos da história e, infelizmente, fará com que muitas contas sejam invadidas, alvo de phishing e doxxed”, disse o fundador da Hudson Rock, Alon Gal, ao site Insider.

No dia 11 de janeiro, dois dias antes do ajuizamento da ação, o Twitter publicou uma nota em seu site negando que o vazamento de dados tenha resultado de uma falha no sistema. “Em resposta a relatos recentes da mídia sobre dados de usuários do Twitter sendo vendidos online, conduzimos uma investigação completa e não há evidências de que os dados recentemente vendidos tenham sido obtidos explorando uma vulnerabilidade dos sistemas do Twitter”, dizia o post.

Compartilhar: