Network-Secure Campanha 01 Desktop Entrada: 22062022 21h52m

Twitter e Meta removem grupos antivacina e de fake news chinês

Gigantes da mídia social removeram milhares de contas “inautênticas” vinculadas a campanhas de desinformação apoiadas por Estados-nação e mensagens antivacinas
Da Redação
05/12/2021

Os gigantes da mídia social Twitter e Meta foram forçados a remover milhares de contas “inautênticas” vinculadas a campanhas de desinformação apoiadas por Estados-nação e mensagens antivacinas.

De acordo com as empresas, a China se destacou por grande parte da atividade. O Twitter revelou que removeu mais de 3.400 contas, cerca de 2.000 das quais estavam sendo usadas para amplificar as narrativas do Partido Comunista relacionadas ao tratamento da população uigur em Xinjiang.

Já a Meta removeu quatro operações de comportamento inautêntico coordenado (CIB). Isso incluiu a ação de grupos chineses para espalhar notícias falsas de os Estados Unidos foi pressionando pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para culpar a China pela pandemia.

Usuários de países de língua inglesa, como EUA e Reino Unido, e de idioma chinês em Taiwan, Hong Kong e Tibete foram os alvos principais dessa campanha. Outros CIBs se concentraram em redes na Palestina, Polônia e Bielo-Rússia. O desmantelamento da operação exigiu que o Meta derrubasse 524 contas do Facebook, 20 páginas, quatro grupos e 86 contas do Instagram. 

Meta também revelou duas novas categorias de violação de política: “denúncia em massa” e “brigada”. O primeiro funciona quando uma rede de contas relata em massa uma conta ou conteúdo a ser removido incorretamente da plataforma.

Veja isso
Twitter multado em US$ 547 mil por ter infringido a GDPR em 2018
Pesquisador holandês diz ter invadido Twitter de Trump com senha fácil

A empresa descreveu uma dessas redes que atuou no Vietnã. “Eles coordenaram o direcionamento de ativistas e outras pessoas que criticaram publicamente o governo vietnamita e usaram relatórios falsos de várias violações na tentativa de remover esses usuários de nossa plataforma”, explicou a Meta.

Segundo a empresa, as pessoas por trás dessa atividade dependiam principalmente de contas autênticas e duplicadas para enviar centenas — em alguns casos, milhares — de reclamações contra seus alvos por meio de nossos fluxos de denúncia de abusos.

Mas é na brigada que os usuários do Facebook trabalham juntos para se envolver em massa em comportamentos repetitivos para assediar ou silenciar pessoas. Esse foi o caso de um grupo antivacina pertencente ao movimento conspiratório “V_V” que Meta removeu recentemente. O grupo teve origem na Itália e na França e teve como alvo profissionais médicos, jornalistas e funcionários eleitos com assédio em massa.

“As pessoas por trás desta operação confiaram em uma combinação de contas autênticas, duplicadas e falsas para comentar em massa as postagens do Pages, incluindo entidades de notícias, e indivíduos para intimidá-los e suprimir suas opiniões”, disse a empresa.

Compartilhar:

Parabéns, você já está cadastrado para receber diariamente a Newsletter do CISO Advisor

Por favor, verifique a sua caixa de e-mail: haverá uma mensagem do nosso sistema dando as instruções para a validação de seu cadastro. Siga as instruções contidas na mensagem e boa leitura. Se você não receber a mensagem entre em contato conosco pelo “Fale Conosco” no final da homepage.

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)