marcelo-branquinho-ti-safe

TI Safe e Siemens anunciam parceria para atender o setor elétrico

Empresa brasileira, sediada no Rio de Janeiro, tem o único SOC industrial atualmente em operação na América Latina
Paulo Brito
16/09/2020

A TI Safe, empresa sediada no Rio de Janeiro e especializada em soluções de segurança para TA (tecnologia de automação), está anunciando a concretização de uma parceria com a Siemens, para o fornecimento de soluções abrangentes em segurança cibernética ao setor elétrico brasileiro. O engenheiro eletricista Marcelo Branquinho, fundador e presidente da TI Safe, esclarece que a parceria, embora não seja recente, foi agora oficializada: “Essa parceria já vem de longa data, mas agora resolvemos formalizar isso por algumas razões”. 

Veja isso
Especialistas discutem suposto ataque cibernético de Israel ao porto do Irã
75% dos CEOs serão responsabilizados pelos incidentes de segurança

A principal delas, explica o presidente da TI Safe, é o fato de que as duas empresas tẽm recursos complementares para a estruturação de soluções destinadas ao mercado: “Como eles são fabricantes, podem fazer algumas coisas que nós não fazemos e vice versa”. Desses recursos, Branquinho considera que pelo lado da TI Safe o SOC industrial da empresa, instalado no Rio de Janeiro, é um  dos itens que mais agrega valor à parceria. “O nosso SOC está estruturado desde 2017, e no momento é o único SOC industrial da América Latina em atividade. E isso é um ativo importante no atendimento aos clientes”. Outro recurso, ele destaca, é toda a parte de análise de risco e de planejamentro desenvolvida pela empresa. 

“Juntando as forças, temos uma solução única para poder atender o mercado no que diz respeito aos novos procedimentos de rede do ONS, que em 2021 se tornarão uma exigência. Estaremos prontos para cobrir todo escopo das exigências do ONS, e com a garantia do fabricante”, destaca Branquinho.

Ele explica que atualmente a segurança das plantas elétricas é um aspecto obrigatório, mas afirma que nenhuma solução de segurança estará completa sem que o fabricante participe: “Só o fabricante pode mexer no coração desses sistemas, que são os equipamentos de ‘chão de fábrica’. Nenhuma revenda, nem a TI Safe, pode fazer isso. Nao porque não tenhamos o conhecimento. Mas não temos essa permissão. Por isso, quando temos o fabricante ao nosso lado, temos uma solução imbatível”, completa. 

Como a Siemens, segundo ele, tem 50% do mercado de energia no Brasil, a parceria tem tudo para uma evolução positiva. O presidente da TI Safe explica que ainda estão sendo estudados com a Siemens modelos comerciais para que a Siemens consiga levar para os clientes as soluções que permitam a eles estar em conformidade com as futuras normas do ONS.

Paulo Antunes, gerente de Aplicações da Siemens, explica que com esta associação, a empresa passará a oferecer para os clientes um escopo de segurança cibernética ainda mais completo englobando: avaliação da segurança cibernética com fornecimento de um diagnósticos estratégico; implementação de projetos de segurança cibernética abrangendo produtos, pessoas e processos; manutenção do serviço ao longo do tempo por meio do monitoramento no Security Operation Center (SOC). “A sociedade brasileira está debatendo a necessidade de uma intervenção regulatória de segurança cibernética para infraestruturas críticas de energia. Por isto, é fundamental contarmos com experiência da TI Safe para ajudar nossos clientes a atender as demandas de adequação que poderão surgir”, detalha Antunes.

Compartilhar:

Últimas Notícias