Thales adere à EuroQCI para projetos de segurança quântica

Multinacional francesa participará de consórcio que visa implantar uma infraestrutura para proteger as comunicações das ameaças que surgirão com a computação quântica
Da Redação
16/04/2023

Até 2040, os computadores quânticos poderão usar seu poder computacional sem precedentes para decodificar dados criptografados, ameaçando incomparavelmente a segurança até mesmo dos sistemas de comunicação mais protegidos. Para se antecipar às novas ameaças que advirão da chamada revolução quântica, a União Europeia criou a iniciativa EuroQCI (European Quantum Communication Infrastructure), que visa implantar uma infraestrutura de comunicação quântica para os estados membros do bloco econômico dentro de três anos.

A EuroQCI visa combater as “ameaças quântica” por meio do desenvolvimento de sistemas soberanos para proteger as comunicações e os ativos de dados de provedores de infraestrutura crítica e instituições governamentais. O objetivo de longo prazo é criar uma Rede de Informação Quântica (QIN) que aproveitará o fenômeno do emaranhamento quântico não apenas para garantir a segurança das comunicações, mas também para criar redes de sensores e processadores quânticos, que têm o potencial de gerar aumentos exponenciais no já excelente desempenho de sensores quânticos e computadores quânticos.

Uma das mais novas integrantes da iniciativa é a Thales, que uniu forças com cerca de vinte parceiros de deep tech, acadêmicos e industriais que compõem a EuroQCI. A multinacional francesa está abrindo novos caminhos como membro de vários novos consórcios que foram criados desde o final de 2022 nas seguintes áreas:

  • Repetidores quânticos, com a Delft University: A QIA (Quantum Internet Alliance) — liderada pela Delft University of Technology, na Holanda — está trabalhando para demonstrar a viabilidade de conectar usuários em duas áreas metropolitanas distantes 500 quilômetros, usando repetidores quânticos, que podem compensar pela perda de informação através de uma memória quântica;
  • Distribuição de chaves quânticas: a QKISS, coordenada pela Exail, e a Quarter, liderada pela LuxQuanta, estão desenvolvendo sistemas de distribuição de chaves quânticas para proteger as comunicações críticas dos usuários contra ataques cibernéticos;
  • Certificação de comunicação quântica: A Petrus, liderada pela Deutsche Telekom, é a coordenadora oficial de 32 projetos EuroQCI, em nome da Comissão Europeia. Também está desenvolvendo uma estrutura para certificação e acreditação de produtos e redes de comunicação quântica;
  • Comunicações quânticas por satélite: A TeQuantS, liderada pela Thales Alenia Space, visa desenvolver tecnologias de comunicação quântica espaço-Terra, necessárias para aplicações de segurança cibernética e futuras redes de informação quântica, através da construção de satélites e estações ópticas terrestres até o final de 2026.

Veja isso
Computação quântica e IA unem Raytheon e IBM
Orientações para mitigar riscos da computação quântica

As equipes da Thales que participam desses projetos estão trabalhando para desenvolver equipamentos de geração, distribuição e gerenciamento de chaves quânticas e os dispositivos de criptografia de comunicação associados, bem como definir a arquitetura dessas infraestruturas de comunicação quântica.

A Thales opera as maiores instalações de pesquisa em física quântica da Europa, em parceria com o Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) da França, e cerca de 100 engenheiros e pesquisadores estão atualmente envolvidos no desenvolvimento de soluções quânticas — sensores, comunicações e algoritmos — que desempenharão um papel fundamental no mundo de amanhã. Esses novos consórcios se beneficiarão da experiência multidisciplinar da Thales, em particular no campo de redes de comunicação seguras. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Últimas Notícias