binoculars-67535_1280.jpg

Tesouro dos EUA aplica sanções à Intellexa e a entidades associadas

Da Redação
08/03/2024

O governo dos EUA anunciou novas medidas contra fabricantes de spyware comercial que resultaram na aplicação de sanções a duas pessoas e a cinco “entidades” associadas à Intellexa, conglomerado que possui empresas sediadas na Grécia, Irlanda, Hungria e outros países. A subsidiária Cytrox na Macedônia do Norte é responsável pelo desenvolvimento de um aplicativo de spyware conhecido como Predator, que é amplamente utilizado por governos ditatoriais e autocráticos  para espionar jornalistas, dissidentes, políticos e outros.

Como outras ferramentas, como o Pegasus do NSO Group, o Predator usa explorações de zero clique que não requerem interação do usuário para infectar um dispositivo. Na verdade, ainda nesta semana a Apple foi forçada a lançar uma atualização do iOS para corrigir duas falhas de dia zero que estão sendo exploradas ativamente.

O Tesouro dos EUA disse que as sanções à Intellexa foram o resultado do uso abusivo do seu spyware por intervenientes para cometerem violações aos direitos humanos, visando dissidentes e até espionagem de funcionários do governo dos EUA, jornalistas e políticos. “As medidas de hoje representam um passo tangível no sentido de desencorajar o uso indevido de ferramentas comerciais de vigilância, que representam cada vez mais um risco de segurança para os Estados Unidos e para os nossos cidadãos”, disse o subsecretário do Tesouro para o terrorismo e inteligência financeira, Brian Nelson.

Veja isso
Spyware Predator tem como alvo celulares em novos países
Predator The Thief inclui recursos para roubo de dados

As duas pessoas atingidas pelas sanções são o fundador israelense da Intellexa, Tal Jonathan Dilian, e a especialista em offshoring empresarial, Sara Aleksandra Fayssal Hamou. As sanções significam que quaisquer bens, incluindo propriedades, ligados a indivíduos ou entidades ficaram congelados pelo governo dos EUA, e as empresas ou pessoas residentes nos EUA ou em países aliados estão proibidos de transacionar com eles.

O anúncio ocorre um dia depois de a Intellexa ter colocado os servidores offline após novas descobertas sobre as operações do Predator.

Para acessar o comunicado do Departamento do Tesouro dos EUA e os detalhes das sanções aplicadas clique aqui.

Compartilhar: