lady-justice-2388500_1280.jpg

STJ diz que dados dos 255 mil processos que tramitam na corte estão íntegros

Presidente do STJ informa que os dados estão sendo recuperados a partir do backup e, segundo ele, estão 100% intactos
Da Redação
08/11/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Em comunicado, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, informa que os dados que foram criptografados em razão do ataque de ransomware ocorrido na última terça-feira, 3, estão sendo recuperados a partir do backup e que, segundo ele, estão 100% íntegros, bem como os dados dos cerca de 255 mil processos que tramitam na corte.

De acordo com o ministro, nesta segunda-feira, 9, o Sistema Justiça estará operando e disponível aos ministros e servidores da corte. Ele informa ainda que o trabalho de restabelecimento dos sistemas do tribunal avança conforme o esperado e “com as precauções que a situação demanda”. Na terça-feira, 10, o STJ poderá retomar suas atividades judicantes, suspensas desde o ataque hacker, garante.

Para reestabelecer os sistemas, o tribunal criou uma verdadeira força tarefa. Além de contar com a colaboração do Comando de Defesa Cibernética do Exército brasileiro, a corte recebeu também apoio da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia.

Veja isso
STJ: mais de 1.200 servidores congelados, backups destruídos
STJ foi pego pelo RansomEXX. Alvo pode ter sido escolhido

Segundo Martins, processos encaminhados à Presidência do STJ seguem sendo examinados e decididos dentro dos prazos estabelecidos na legislação processual, inclusive durante o fim de semana. “A Polícia Federal está apurando os efeitos do ataque hacker à rede de tecnologia da informação do tribunal, inclusive com relação à extensão do acesso aos arquivos, bem como sobre eventual cópia de dados. A investigação do crime segue em inquérito sigiloso”, informa o presidente do STJ.

O STJ detectou, no dia 3, um ataque hacker durante o período da tarde, quando ocorriam sessões de julgamento. Verificou-se que um vírus estava circulando na rede do tribunal e, como medida de precaução, os links para a rede mundial de computadores foram desconectados, o que implicou o cancelamento das sessões de julgamento e impossibilitou o funcionamento dos sistemas de informática e de telefonia da corte. O ministro Humberto Martins, de imediato, solicitou providências à Polícia Federal, por meio de notitia criminis, para que procedesse às devidas investigações.

A pedido do presidente do STJ, o ministro da Justiça, André Mendonça, determinou a instauração de inquérito, que já tramita perante a Polícia Federal. O STJ está fornecendo todas as informações demandadas pela PF e acompanhando, passo a passo, os procedimentos investigatórios. Em paralelo, a equipe da STI do STJ, juntamente com empresas prestadoras de serviços de tecnologia do tribunal, a exemplo da Microsoft, iniciou os procedimentos de recuperação dos ambientes dos sistemas de informática do Tribunal da Cidadania. As empresas designaram equipes especializadas para auxiliar o STJ na recuperação do ambiente tecnológico.

Apesar de todas essas medidas, o Estadão diz que peritos que investigam o ataque temem que o criminoso possa ter copiado o material e que o STJ seja alvo de um vazamento em massa de informações.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)