Software da Thales bloqueia drones em zonas sensíveis

Paulo Brito
21/11/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Solução chamada de EagleSHIELD detecta, identifica, classifica e neutraliza drones não-autorizados voando em baixa altitude, em raio de até 7 km

A empresa francesa Thales, especializada em cibersgurança e ciberdefesa, anunciou ontem o lançamento de uma solução para lidar com a ameaça do uso mal-intencionado de drones. Chamada de EagleSHIELD, a solução foi projetada para detectar, identificar, rastrear e neutralizar drones que estejam voando no espaço aéreo civil, protegendo zonas sensíveis como aeroportos, arenas esportivas, instalações de infraestrutura crítica e eventos de grande porte em áreas urbanas.

A solução opera em conjunto com o radar holográfico Gamekeeper. Segundo a comunicação da Thales, esse é o único radar no mercado a fornecer cobertura de vigilância do espaço aéreo em 360 graus, podendo identificar e rastrear todos os tipos de plataformas aéreas que voem em baixa altitude, sem velocidade elevada e num raio de sete quilômetros.
O radar é complementado com sensores de raios infravermelhos e de radiofrequência, para refinar suas capacidades de identificação e de classificação das ameaças. Os dados obtidos são tratados com técnicas de ‘fusão de dados’ em tempo real, para determinar o tipo exato da aeronave não-tripulada. 

Para os operadores, informa a Thales, a EagleSHIELD oferece uma visão clara e simplificada da situação, para proteger o espaço aéreo em tempo real. Ela fornece aos serviços de segurança e forças armadas uma visão abrangente e e integrada do espaço aéreo. Integradas a esses recursos de vigilância, estão disponíveis diversas contramedidas, como respostas proporcionais à ameaça, dependendo do ‘contexto operacional’. Para os casos confirmados de ameaça, a Thales pode incorporar uma variedade de soluções, entre elas interferência de sinal eletromagnético, interceptação por frota de drones e artifícios de energia dirigida, para neutralizar os drones não-autorizados.

A evolução representada pelo EagleSHIELD é o resultado dos investimentos feitos pela Thales, durante os últimos sete anos, em quatro das principais tecnologias digitais da atualidade: inteligência artificial, Big Data, conectividade e segurança cibernética. O comunicado da empresa afirma que isso permite “levar aos cidadãos os benefícios dos drones comerciais, ao mesmo tempo em que combate as ameaças associadas ao uso mal-intencionado de aeronaves não tripuladas no espaço aéreo civil. 

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest