Só 2% dos ataques DDoS têm velocidade superior a 10 Gbps

Da Redação
05/03/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

O Relatório de Tendências DDoS da Corero mostra, no entanto, que a tendência é que o volume médio nos ataques esteja aumentando

Um relatório da empresa americana Corero Network Security, especializada em soluções de defesa contra DDoS mostra que apenas 2% dos ataques têm fluxo superior a 10 gigabits por segundo (Gbps). A esmagadora maioria (98%) tem fluxo inferior a isso. 

O Relatório de Tendências DDoS de 2019 mostra, no entanto, que a tendência é que o volume médio nos ataques esteja aumentando. O relatório anterior, publicado em Janeiro de 2019, mostrou um ataque DDoS SYN que resultou em um dilúvio esmagador de 500 milhões de pacotes por segundo. Dito isto, ataques curtos de menor volume continuam dominando, com 98% ocorrendo a menos de 10 Gbps e 85% com duração inferior a 10 minutos.

Outros destaques do relatório:

  • O uso de ataques multi-vetoriais aumentou 13% ano a ano
  • As organizações têm 25% de chance de serem atacadas novamente em 24 horas, aumentando para 36% em 90 dias
  • Mais de 99% dos ataques não alcançam 95% dos níveis de saturação de link

A empresa pondera que o mundo cada vez mais conectado à Internet se torna mais complexo a cada ano, devido às conexões mais rápidas, à ampla adoção de dispositivos da Internet das Coisas (IoT) e à explosão dos serviços em nuvem. “Simultaneamente, as ameaças de negação de serviço distribuída (DDoS) tornaram-se mais sofisticadas, mais frequentes e maiores. A resiliência da Internet pode cair numa fração de segundo, e quando a conectividade cai, as organizações que dependem da Internet caem junto. Os ataques DDoS são considerados uma das ameaças mais graves à continuidade dos negócios. O tempo de inatividade ou latência aumentada pode afetar significativamente a reputação da marca, a confiança e a receita do cliente”. 

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest