Sites encontros: 29M de perfis à venda. Ou mais

Paulo Brito
12/11/2018
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Cerca de 29 milhões de perfis de usuários do Badoo, OKCupid, LavaLife, Spark, Cupid, SaucyDates e muitos outros estão sendo vendidos abertamente na Internet. São perto de 150 milhões de fotos, nomes de usuário, endereços de e-mail, nacionalidade, sexo, idade e informações pessoais detalhadas sobre todas as pessoas que criaram os perfis, como orientação sexual, interesses, profissão, características físicas completas e traços de personalidade.

Algumas fotos do lote adquirido

A revelação foi feita pelo projeto “The Dating Brokers: An autopsy of online love“, que acaba de ser publicada no site da Tactical Tech, uma organização sem fins lucrativos com sede em Berlim que trabalha na intersecção entre tecnologia, direitos humanos e liberdades civis. O projeto contou com a colaboração da artista espanhola Joana Moll. Em Maio do ano passado o projeto adquiriu da empresa USDate, supostamente baseada nos EUA, um lote de um milhão de perfis por 136 Euros. A análise dos dados expôs uma vasta rede de empresas que estão ganhando dinheiro vendendo e revendendo essas informações sem o consentimento consciente dos usuários, afirma o projeto.

O intercâmbio e venda de perfis de namoro on-line parece ter-se tornado uma prática comum na indústria dos encontros. O método é freqüentemente usado para rechear novos sites logo no seu início, para que não dependam apenas de cadastramentos. Ao mesmo tempo, segundo informações do projeto, “os sites de namoro em operação estão continuamente intercambiando perfis – a fim de obter novos rostos em seus serviços e, assim, aumentar as probabilidades de combinação entre seus usuários, assim como conseguir novos assinantes”. De acordo com especialistas do setor, existem dois modos de adquirir novos perfis: usando os bancos de dados de “White Label Dating Services”, ou através de serviços mais sombrios, chamados de “Black Hat Dating”.

Segundo o projeto, a USDate não revelou de onde veio o lote vendido. Mesmo assim, com base na lista de “parceiros” oficiais da empresa e na análise forense de imagens foi possível descobrir que boa parte vinha do site Plenty of Fish, o segundo maior dos EUA depois do Tinder: a empresa tem 150 milhões de usuários registrados e recebe uma média de 65.000 novas assinaturas por dia.

Para piorar, conta o relatório, “a política de privacidade do Plenty of Fish declara que compartilha informações do usuário (o que provavelmente implica em perfis de usuário) com sua controladora, Match Group e outras empresas do Match Group. Assim, mesmo que não seja especificamente declarado na política de privacidade da Plenty of Fish, se você tiver um perfil na Plenty of Fish, é possível que ele seja vendido, compartilhado ou usado em outros serviços de encontros pertencentes ao Match Group.”

 

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest