chart-1905225_1280.jpg

Segurança ganha prioridade em 53% das empresas

Informação é do IT Snapshot, o estudo anual da Logicalis que acompanha as tendências e prioridades da área de TI
Da Redação
11/08/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Saiu a sétima edição do IT Snapshot, o estudo anual da Logicalis que acompanha as tendências e prioridades da área de TI. Uma das principais conclusões desta edição é que nos próximos 12 meses a segurança da informação será o foco de investimento em 53% das organizações, e a adequação à LGPD será foco em 51%. As outras prioridades são analytics e Big Data  em 37% das empresas e migração de aplicações para a nuvem em 22%. Entre novembro de 2020 e fevereiro de 2021 o IT Snapshot entrevistou 120 executivos de TI que ocupam cargos de liderança em empresas de diferentes segmentos com sede no Brasil. A pesquisa abordou temas como a importância da tecnologia durante a pandemia da Covid-19, LGPD, migração para a nuvem, adoção de soluções e serviços de data analytics e segurança da informação.

O estudo revela que, apesar de 41% dos negócios terem o budget da área de TI afetado pela pandemia da Covid-19 no ano passado, as perspectivas para 2021 são positivas: 55% dos executivos esperam que o orçamento seja maior quando comparado ao planejado para 2020. De acordo com a pesquisa, entre as tecnologias que permitem o trabalho remoto, as que mais cresceram em 2020 foram

  1. Soluções específicas de segurança relacionadas ao trabalho remoto, implementadas emergencialmente por 25% dos entrevistados
  2. Plataformas de videoconferência, adotadas por 22% dos respondentes
  3. Plataformas de colaboração em nuvem, apontadas por 19% dos executivos ouvidos.

A expectativa é que essas soluções continuem a apresentar crescimento, ainda que em ritmo mais lento, já que estão mais consolidadas.

“Temos observado que a tecnologia vem ganhando importância cada vez maior no cotidiano das empresas e dos profissionais. Por isso, neste relatório, tentamos abranger alguns temas recentes para os executivos brasileiros, como LGPD e ferramentas para minimizar os impactos da COVID-19, e, assim, mostrar uma fotografia ampla da adoção de tecnologia nas empresas do país”, comenta Yassuki Takano, diretor de Consulting Services da Logicalis.

Veja isso
Cresce o risco e serviços de SOC ganham espaço
Logicalis dobra número de clientes de SOCs

Com os vazamentos de dados que ocorreram nos últimos meses, a LGPD, que começou a vigorar em outubro de 2020, e a necessidade de encontrar uma forma de garantir a cibersegurança no modelo de trabalho remoto, o investimento em segurança da informação se tornou a prioridade das organizações. Para 71% dos entrevistados, as empresas devem ter a capacidade de garantir a total segurança e privacidade de seus dados, mesmo que isso venha de encontro com demandas por mais acessos a informações e agilidade nos processos de TI. Para se ter uma ideia, de como essa preocupação é crescente, em 2018 49% priorizavam o controle em detrimento da maior liberdade no acesso aos dados.

A questão da segurança e privacidade ganha ainda mais força com a LGPD e a corrida pela adequação deve se intensificar, uma vez que apenas 11% das empresas se disseram totalmente aderentes à nova lei, que prevê a aplicação de multas por descumprimento a partir deste mês. De acordo com o levantamento, 42% já contam com iniciativas concretas, plano desenhado e projetos dedicados à nova lei.

Sobre os principais desafios para a jornada de adequação à LGPD se destaca a adequação dos processos e sistemas para atender às novas regras, como maior dificuldade de execução (24%). Mapeamento de processo e dados (14%) e engajamento dos colaboradores (13%) aparecem na sequência. Para as ações específicas de tecnologia, a principal iniciativa de LGPD em curso é o mapeamento do ciclo de vida dos dados (59%), seguida pela redefinição dos processos de tratamento dos dados que circulam pela empresa (51%). Na terceira posição está a adequação dos websites e portais (47%).

De 2018 para 2021, a utilização de data analytics cresceu 28%, passando de 15% para 43% o total de empresas que utilizam a solução. A perspectiva é que a adoção siga em trajetória de crescimento, já que 12% das organizações afirmaram estar em processo de implementação e 27% dos respondentes revelaram que devem adotar essa de tecnologia nos próximos meses. Quando perguntados dos quais as áreas mais beneficiadas pelo uso de analytics e inteligência artificial, os respondentes indicaram em primeiro lugar as áreas relacionadas a desenvolvimento de negócios (comercial, vendas), com 57%, seguidas das áreas de operações, atendimento ao cliente e administrativo-financeiro, com 36%, 32% e 30%, respectivamente.

A cloud é outra tecnologia que vem ganhando espaço. Até fevereiro de 2021, 24% das empresas tinham realizado a migração da infraestrutura e aplicações para a nuvem, 28% estavam em estágio avançado e 25% apenas possuíam planos. Em relação às soluções mais adotadas pelas empresas na nuvem, é possível identificar diferentes níveis de migração: soluções de colaboração e de produtividade já foram migradas em um grande percentual (86% e 78%, respectivamente), infraestrutura e aplicações em SaaS têm, respectivamente, 50% e 47%, e outras aplicações e plataformas, como PaaS e serviços gerenciados, têm níveis de migração abaixo de 40%. Nos próximos meses, outros serviços devem se destacar, como Disaster Recovery (DR) na nuvem, citado por 31% dos entrevistados e aplicações em SaaS (ERP, CRM etc), destacado por 20% dos executivos consultados.

Com informações da assessoria de imprensa

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)