seguro cibernético

Seguradoras buscam elevar prêmio por causa de home office

As notificações de sinistros em seguros cibernéticos cresceram, à medida que violações de dados e ataques de ransomware continuam a prejudicar todos os setores
Paulo Brito
18/05/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Os riscos aumentados de segurança cibernética desencadeados pelo surto de COVID-19 estão fazendo com que as seguradoras abram o olho sobre as coberturas que contrataram com seus segurados. Uma reportagem de hoje do Wall Street Journal diz que as seguradoras aumentaram sua vigilância sobre as apólices, porque a ampliação do trabalho remoto eleva o risco. As notificações de sinistros em seguros cibernéticos cresceram, à medida que violações de dados e ataques de ransomware continuam a prejudicar todos os setores. De acordo com dados compilados pela Fitch Ratings, os índices de perdas diretas para apólices de ciberseguro aumentaram de 34% em 2018 para 47% em 2019. Os índices de perdas diretas medem o percentual de renda pago aos reclamantes pelas companhias de seguros.

Stephen Viña, vice-presidente sênior da divisão de corretagem de seguros cibernéticos da Marsh & McLennan, disse ao jornal que as seguradoras querem mais detalhes do que nunca. Elas estão aplicando novamente os questionários nas empresas para que possam reavaliar seus riscos e cobrar mais pelos prêmios disse Viña.

Veja isso
Pandemia pode complicar cláusulas de seguro cibernético?
Ciberataques levam empresas a buscar seguros

Agora, espera-se que as empresas forneçam mais detalhes do que antes, sobre como responderiam a uma violação de dados, e que medidas tomariam se atingidas por ransomware ou qualquer outra forma de ataque cibernético. Dependendo de como empresas respondem à pesquisa, elas podem acabar com uma apólice mais cara ou, em alguns casos, ter cobertura negada.

Viña disse que as seguradoras estão profundamente preocupadas com o fato de as condições de trabalho durante a pandemia exporem as empresas a riscos adicionais, que simplesmente não foram considerados quando a apólice de seguro estava sendo criada.

Por exemplo: as empresas tinham controle rígido sobre a segurança dos funcionários que trabalhavam em um escritório central, mas agora podem enfrentar riscos aumentados e não planejados, já que os trabalhadores se esforçam remotamente para cumprir as medidas de bloqueio, contando com redes domésticas e equipamentos pessoais.

O diretor de inovação da seguradora londrina CFC Underwriting Ltd. Graeme Newman disse ao WSJ que os segurados estavam sendo solicitados a mostrar às seguradoras que situações de trabalho remoto foram levadas em consideração em seus planos de continuidade de negócios.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest