healthcare-setor-de-saude.jpg

Saúde começa a ganhar defesa cibernética gratuita

Paulo Brito
18/03/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Empresas ligadas à cibersegurança começam a anunciar iniciativa para defender gratuitamente as organizações de saúde contra ransomware e phishing

Pelo menos quatro empresas ligadas à cibersegurança anunciaram que estão tomando a iniciativa de defender gratuitamente as organizações de saúde. A maior de todas é a C5 Capital, firma de private equity que investe exclusivamente em empresas de segurança cibernética, IA, nuvem e espaço. Ela criou uma aliança formada por seis empresas de cyber por causa da multiplicação das ameaças que aproveitam a pandemia de Corona Vírus. 

Em outra iniciativa semelhante, a empresa irlandesa de treinamento e conscientização sobre segurança cibernética Cyber Risk Aware anunciou ontem que forneceria testes de phishing Covid-19 gratuitos para empresas. As empresas são convidadas a executar uma simulação de phishing, na qual até 100 funcionários podem aprender a evitar as iscas associadas ao Covid-19.

Juntamente com a simulação gratuita, as empresas podem baixar uma lista de verificação do que fazer e não fazer, projetada para manter em boa segurança cibernética os funcionários que trabalham remotamente. 

Entraram no mesmo movimento a empresa americana de recuperação de ransomware Coveware e a empresa de soluções antivírus da Nova Zelândia Emsisoft. As duas se uniram para oferecer ajuda gratuita a hospitais de cuidados intensivos e outros profissionais de saúde que estão na linha de frente do Covid-19 e tenham sido atingidos por ransomware.

Ataques cibernéticos na saúde subiram 150%

No comunicado distribuído hoje, a C5 pondera que houve um número sem precedentes de ataques contra o setor de saúde desde o surgimento do Covid-19, elevando o nível de ameaça a hospitais, clínicas e instalações de pesquisa já sobrecarregados de trabalho. De fato, o aumento nos ataques cibernéticos às organizações de saúde foi de 150% nos dois últimos meses, incluindo as campanhas com e-mails de phishing que fingem ser da Organização Mundial da Saúde (OMS) e infiltrações de ransomware.

A iniciativa, chamada agora de “Aliança C5”, conta por enquanto com ITC Secure, IronNet, Haven Cyber, Enveil, 4iQ e Blue Cedar. A primeira ação é justamente o lançamento da iniciativa principal, batizada de “Defesa Cibernética Coletiva para Assistência Médica”. Essa iniciativa se materializa com o acesso gratuito de hospitais, clínicas e outras instalações médicas do Reino Unido e Europa ao sistema IronDome, um produto de defesa coletiva baseado numa solução da IronNet. A proteção será gerenciada pelo Centro de Operações de Segurança (SOC) 24/7 da ITC Secure, que tem sede em Londres.

Com agências internacionais


Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest