Riscos gerados pela GenAI põem ainda mais pressão sobre os CISOs

Estudo revela que os responsáveis pela segurança nas organizações se sentem cada vez mais pressionados devido à necessidade de se adaptarem rapidamente para enfrentar os novos riscos à segurança cibernética trazidos pela Gen AI
Da Redação
14/05/2024

À medida que as indústrias começam a perceber todo o potencial da inteligência artificial generativa — ou GenAI como vem sendo chamada — e passam a utilizá-la  para impulsionar os negócios, os CISOs se sentem cada vez mais pressionados devido à necessidade de se adaptarem rapidamente para enfrentar os novos riscos à segurança cibernética.

É o que revela um estudo da empresa de segurança cibernética Trellix, que constata que a GenAI vem sendo implementada a uma velocidade enorme, trazendo vários desafios para os CISOs protegerem dados críticos dentro das suas organizações.

“GenAI e IA têm o potencial de interromper e, ao mesmo tempo, aprimorar as operações de segurança. [Diante disso,] como guardiões atuantes, os CISOs estão sob imensa pressão”, disse Harold Rivas, CISO da Trellix. “A função do CISO é vital para a saúde da organização. Descobrir como adotar a IA e, ao mesmo tempo, apoiar os profissionais que lideram com as defesas cibernéticas é de missão crítica para todas as organizações e para a segurança nacional.”

A democratização da GenAI significa que pode ser utilizada por profissionais de todos os níveis de qualificação, trazendo consigo uma série de benefícios, bem como potenciais riscos e desafios. Nesse sentido, o papel do CISO tornou-se ainda mais essencial para navegar nesse cenário em evolução.

De acordo com o estudo da Trellix, 76% dos CISOs já utilizam GenAI em suas organizações, sendo que os 24% restantes planejam utilizá-la. Atualmente, 70% utilizam a IA tradicional, com 26% planejando usá-la nos próximos 12 meses. Entre as aplicações mais comuns da IA no ambiente corporativo citadas pelos entrevistados estão o software de análise preditiva e ferramentas de processamento de linguagem natural (PNL). Dos entrevistados que já usam GenAI em suas organizações, 100% dizem que ela está melhorando/aumentando processos ou as tecnologias de segurança cibernética.

Com o aumento dos ataques cibernéticos e a IA expandido o seu uso nos processos corporativos, não é surpresa que 90% dos CISOs se encontrem sob pressão crescente. Acompanhar o ritmo da IA e da GenAI é vital e quase todos os entrevistados afirmaram que as suas organizações poderiam fazer mais.

Apontando o aumento dos riscos, mas ao mesmo tempo reconhecendo a capacidade da GenAI para reforçar e preparar melhor as suas próprias medidas de segurança cibernética, 91% dos CISOs expressaram entusiasmo com as perspectivas e oportunidades abertas pela tecnologia. Quase metade dos CISOs entrevistados já estão trabalhando para proteger suas ferramentas de IA, com 45% citando que foi criado um comitê de IA para rever as ferramentas de IA, bem como para implementar uma governança, incluindo estruturas e padrões de segurança.

Veja isso
Gartner: GenAI, riscos de terceiros e ameaças devem marcar 2024

Não é à toa, 62% dos CISOs disseram que não têm total confiança na força de trabalho da sua organização para identificar com sucesso ataques cibernéticos que incorporam GenAI. O motivo é simples: 99% dos entrevistados relataram ter sofrido um ataque cibernético nos últimos seis meses, com 82% experimentando um aumento geral nos ataques cibernéticos. As principais preocupações estão relacionadas com a velocidade, frequência e escala dos ataques cibernéticos que a GenAI permitirá.

Por fim, há o fato de que a GenAI está colocando os CISOs sob intenso escrutínio. A introdução da IA e da GenAI nas organizações também trouxe os CISOs para os holofotes e 90% dos entrevistados concordam que isso impôs maior responsabilidade pôs o seu papel em evidência. Entretanto, 89% deles concordam que a adoção e integração de ferramentas GenAI ajudarão a resolver problemas de pessoal de operações de segurança em sua organização. 

Para ter acesso ao estudo completo da Trellix sobre GenAI clique aqui.

Compartilhar:

Últimas Notícias