Reino Unido protegeu a Ucrânia de ciberataques

Ministro das Relações Exteriores admitiu que serviço secreto britânico está protegendo a Ucrânia de ataques cibernéticos russos
Da Redação
01/11/2022

Os serviços de inteligência britânicos desempenharam um papel importante na proteção da Ucrânia contra ataques cibernéticos, disse hoje em entrevista o secretário de Relações Exteriores Leo Docherty. Ele divulgou detalhes de um programa de defesa cibernética anteriormente ultra-secreto. Segundo o secretário, os danos causados ​​supostamente pelos hackers russos teriam sido “muito significativos” sem o apoio de espiões britânicos.

Veja isso
Grupo ligado à Rússia ataca com DDoS países pró-Ucrânia
Celular de ex-primeira ministra do Reino Unido foi violado

Docherty também disse que o Reino Unido fortaleceu seus sistemas de defesa cibernética devido à ameaça russa: “Temos profundo conhecimento no campo da defesa cibernética e, portanto, ficamos muito felizes em compartilhá-lo com nossos aliados ucranianos”, disse o ministro.

O Programa Cibernético da Ucrânia vale cerca de £ 6 milhões e foi lançado em 24 de fevereiro de 2022. O programa de apoio foi tornado público depois que o Ministério das Relações Exteriores britânico sentiu que o sigilo de suas operações não era mais necessário. Isso indica que Moscou já sabia sobre o programa cibernético.

O Reino Unido acredita que a ausência de grandes ciberataques em Kyiv não se deve ao fato de a Rússia não ter tentado atacar, mas ao sucesso dos ciberdefensores ucranianos, apoiados por governos estrangeiros, incluindo o Reino Unido, por todo o indústria.

O Reino Unido também forneceu à Ucrânia hardware e software para fortalecer suas defesas cibernéticas, incluindo firewalls para que as pessoas possam acessar informações e serviços vitais.

Compartilhar:

Últimas Notícias