Rastreamento online é mais intenso do que parece

Alguns rastreadores on-line conhecem até 80% do histórico de navegação de um usuário
Da Redação
27/01/2022

Os usuários de internet são rastreados por muitas organizações assim que se conectam. E os rastreadores coletam significativamente mais do que se supunha, incluindo informações confidenciais sobre indivíduos. A afirmação é da NortonLifeLock em sua pesquisa Consumer Cyber ​​Safety Pulse, publicada ontem e detalhando os principais insights e conclusões de segurança cibernética do consumidor de outubro a dezembro de 2021. Aproveitando a telemetria global de ameaças da empresa, a análise inclui novas descobertas sobre a onipresença de rastreadores online e os principais golpes que dominaram o último trimestre.

A Norton descobriu que metade das organizações de rastreamento encontradas em uma semana localizam os usuários nas duas primeiras horas de navegação – mesmo que os usuários limpassem seu histórico de navegação todos os dias, levaria em média apenas duas horas para que ele fosse reencontrado por 50% de todos os rastreadores online.

Veja isso
Descobertos 30 apps ‘fleeceware’ para iOS na App Store
Mercenários roubam bases de dados de e-mail no Brasil

No trimestre, os cibercriminosos continuaram a explorar a pandemia com golpes Covid-19 que capitalizaram a situação em constante evolução. Além disso, eles continuaram a aumentar o interesse em programas populares como “Squid Game”, com golpes de phishing disfarçados de brindes.

A empresa informa no relatório que bloqueou 3,6 bilhões de ameaças, ou quase 10 milhões de ameaças por dia, incluindo 1,1 bilhão de ameaças entre outubro e dezembro:

53,9 milhões de tentativas de phishing
221,09 milhões de ameaças de arquivos
1,4 milhão de ameaças móveis
253.063 ataques de ransomware

A pesquisa está em hxxps://www.nortonlifelock.com/blogs/norton-labs/january-2022-consumer-cyber-safety-pulse-report

Com informações da assessoria de imprensa

Compartilhar:

Últimas Notícias