Ransomware cresceu 10% no mundo: Brasil é alvo #2

Paulo Brito
03/03/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Relatório anual da Trend Micro mostra o Brasil como segundo país com maior número de tentativas de contaminação por ransomware, perdendo só para os EUA

A Trend Micro divulgou hoje no Brasil o seu Relatório Anual de Ameaças 2019, um  levantamento sobre o cenário global de ameaças cibernéticas do ano passado. O estudo mostra que o País foi o terceiro país com maior número de ameaças enviadas por e-mail, com quase dois bilhões de mensagens maliciosas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (10 bilhões) e da China (quatro bilhões). Os outros países que compõem a lista top 5 são a Rússia e o Japão. Os números são coletados pela Trend Micro na base de dispositivos que ela monitora.

Em termos globais, a empresa informou ter observado um aumento de 10% nas detecções de ransomware, e uma diminuição de 57% no número de novas famílias dessa ameaça. A Trend Micro afirma que o setor de saúde continua sendo o mais visado, com mais de 700 provedores afetados em 2019. Segundo o relatório, quase 110 governos e agências estaduais e municipais nos EUA foram vítimas de ransomware no ano passado. A Trend Micro  também destacou que o número de vulnerabilidades graves foi 171% superior ao de 2018. 

O Brasil foi o segundo país com maior quantidade de ataques de ransomware em 2019, correspondendo a 31,97% dos ataques globais, com quase 10% mais do que a Índia, que ocupa a terceira posição. Os Estados Unidos novamente são líderes nessa categoria, concentrando 34,36% das ameaças.

“Um dos motivos para ameaças por e-mail serem tão comuns ocorre pelo fato de ser uma plataforma simples para transmissão de malwares. Com o uso de estratégias como a engenharia social, é relativamente fácil infectar usuários despreparados”, comenta Marisa Travaglin, gerente de Marketing da Trend Micro Brasil. “O ransomware”, diz ela “é um tipo de ataque com grande potencial de comprometer o desempenho empresarial – os cibercriminosos estão buscando estrategicamente cada vez mais companhias com dados sensíveis e alto desempenho financeiro”, afirma Marisa.

De 2016 a 2019, a Trend Micro identificou globalmente mais de 1,8 bilhão de ameaças de ransomware, embotidas em todo tipo de vetor – e-mails, arquivos e URLs.

O estudo mostrou que cada URL maliciosa detectada em ataques a clientes no Brasil tinha o potencial de atingir 16,7 usuários, colocando o Brasil na 17º posição do ranking de vítimas de endereços maliciosos bloqueados pela Trend Micro. Ao todo, houve em 2019 mais de 12 milhões de acessos a URLs maliciosas no Brasil.

O Brasil também se destacou em número de apps maliciosos disponíveis. Dos mais de cinco milhões de aplicativos analisados pela Trend Micro, 38.056 são maliciosos, trazendo ameaças como o adware, que exibe propagandas difíceis ou impossíveis de fechar. 

Outro dado relevante do relatório é a quantidade de malwares bloqueados no Brasil. Com quase 13 milhões de ameaças, o país ocupa a 10º posição no ranking de países com maior número de malwares detectados, além de estar no top 15 em quantidade de ameaças bancárias, com mais de 6 mil identificadas.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest