internet-3572404_1280.jpg

Quer seguir ou entrar na carreira de cibersegurança? A hora é agora

Setor tem alto índice de empregabilidade, com muitas oportunidades de emprego, e salários acima da média de mercado
Erivelto Tadeu
17/09/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Estudo do International Information System Security Certort Consortium, ou (ISC)², organização especializada em treinamento e certificações para profissionais de segurança cibernética, revela que o deficit de mão de obra em cibersegurança hoje no mundo é de 4,07 milhões, o que deve aumentar ainda mais nos próximos anos.

Considerando as 11 maiores economias do mundo — Brasil incluído —, a (ISC)² estima que força de trabalho em cibersegurança atualmente gira em torno de 2,8 milhões de profissionais. Deste total, 486 mil são profissionais de cibersegurança do Brasil, o que por si só dá uma ideia do tamanho do gap de mão de obra no setor no país. Na América Latina, a estimativa é que o déficit cheque a 600 mil profissionais.

Para atender às necessidades de segurança das empresas, à medida que as ameaças cibernéticas se tornam mais sofisticadas e incessantes, a (ISC)² calcula que a força de trabalho global precisa crescer 145% nos próximos dois anos. Esse cenário, embora preocupante, não deixa de ser uma ótima oportunidade para aqueles profissionais que queiram adquirir novas habilidades ou até mesmo para quem quer ingressar na carreira de segurança cibernética.

As vantagens são inúmeras. Além do alto índice de empregabilidade, com muitas oportunidades de emprego, os salários na área de segurança cibernética são acima da média de mercado, sendo uma das carreiras que mais pagam. O salário de um tecnólogo em defesa e segurança cibernética, por exemplo, pode começar em cerca de R$ 2.500,00 e superar R$ 10.000,00, dependendo do cargo e das competências e experiência profissional (veja tabela abaixo).

Porte da empresaSalário médio
TraineeJúniorPlenoSêniorMaster
Grande empresaR$4.251,82R$5.314,77R$6.643,46R$8.304,33R$10.380,41
Média empresaR$3.270,62R$4.088,28R$5.110,35R$6.387,94R$7.984,93
Pequena empresaR$2.515,86R$3.144,83R$3.931,04R$4.913,80R$6.142,25
As informações foram retiradas do SINE – Site Nacional de Empregos, serviço que atua em todo o Brasil como classificado online de vagas de emprego.

Outro benefício é que o especialista em defesa e segurança cibernética pode atuar em empresas de diferentes setores da economia, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. O profissional encontra oportunidades também em empresas de desenvolvimento de software, startups, empresas de tecnologia e, até mesmo, em órgãos públicos.

Veja isso
Segurança e nuvem entre os 10 maiores salários de 2020
Salários em alta para profissionais cyber

O momento para investir na carreira também é oportuno. Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, as empresas tiveram que colocar um grande contingente de empregados para trabalhar em casa. Portanto, estão demandando mais cuidados com a segurança e, consequentemente, de mais profissionais de cibersegurança. Como o chamado home office tende a ser mantido por muitas empresas, mais profissionais de segurança terão de ser contratados. Mesmo antes do advento da covid-19, as organizações tinham problemas para preencher todos os cargos de segurança cibernética que abriam — e suas necessidades certamente se intensificaram nos últimos meses. É preciso considerar também que muitas delas precisarão agora acelerar os esforços de transformação digital.

Para os profissionais de segurança cibernética empregados e outros profissionais de tecnologia, a ocasião é igualmente apropriada. Conforme a demanda por pessoal de segurança cibernética aumenta, a disponibilidade de cargos também cresce. Por isso é o momento de investir em cursos e treinamentos — há uma profusão deles online — para adquirir novas habilidades, especializações e certificações em segurança. Para os profissionais com experiência em tecnologia é oportuno porque, com o déficit de mão de obra, fica mais fácil ingressar e prosperar na carreira da cibersegurança. Claro, para isso precisam se preparar.

Um relatório recente da Skillsoft diz que o treinamento em rede e sistemas operacionais, segurança e programação são os mais demandados entre os profissionais de tecnologia e desenvolvedores, e que os cursos de preparação para certificação de segurança aumentaram 58% no comparativo anual.

Embora as pessoas que já trabalham em TI tenham uma vantagem sobre outros candidatos aspirantes, uma vez que cada função dentro de TI tem um aspecto de cibersegurança, certificações como o (ISC)² Systems Security Certified Practitioner (SSCP) podem ajudar na aquisição de conhecimento de cibersegurança e demonstrar a adequação para entrar no campo da segurança cibernética.

Mesmo os recém-formados sem formação técnica profunda podem ter um futuro brilhante na segurança cibernética — aprofundar os conhecimentos sobre a ferramentas e tecnologias disponíveis no mercado é um bom início.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório