Prêmio de seguro cibernético fica 15% mais barato

Da Redação
02/07/2024

Os valores cobrados pelas seguradoras nos prêmios de seguro cibernético caíram em média 15% em relação ao pico de 2022, segundo o relatório anual da corretora britânica Howden, publicado ontem. Isso oferece aos compradores “uma oportunidade de garantir proteção em termos favoráveis”, diz a apresentação do documento. “Após uma grande correção de mercado devido ao aumento de sinistros de ransomware em 2020 e 2021, as condições começaram a se estabilizar no ano passado, pois a higiene cibernética aprimorada entre os segurados ajudou a prevenir ou mitigar o impacto dos ataques”, diz o documento.

Veja isso
Seguro cyber já indeniza 63% das empresas atacadas
Falha crítica em firewall é porta de entrada para criminosos

As vendas de seguro cibernético têm sido lideradas pelos EUA, que respondem por aproximadamente dois terços do mercado global. Em uma mudança notável, no entanto, a pesquisa também mostra que mais da metade do crescimento de prêmios até 2030 provavelmente virá de territórios fora dos EUA: s nas principais economias europeias da Alemanha, França, Itália e Espanha, o potencial de elevação de prêmios – apenas replicando os níveis de penetração alcançados em mercados mais maduros – está na casa de EUR 700 milhões.

O espaço das PMEs, que responde por quase metade do PIB em economias avançadas, também oferece uma grande oportunidade, pois corretores e seguradoras encontram melhores maneiras de trazer esse grupo demográfico atualmente mal atendido para o mercado cibernético.

A resiliência cibernética fortalecida está rendendo dividendos para os segurados agora que os ataques de ransomware estão voltando à tendência ascendente de longo prazo. A frequência aumentou 18% até agora neste ano em relação aos níveis já elevados de 2023. Os dados, no entanto, apresentam um quadro mais matizado na frente da gravidade, com os custos de recuperação aumentando mais uma vez após um declínio temporário em 2022, mas menos empresas sendo forçadas a pagar um resgate, devido em grande parte a controles de risco mais eficazes.

Compartilhar: