Polícia desmonta verificador de cartão de crédito usado em hack

Da Redação
03/05/2023

O Departamento de Justiça dos EUA anunciou nesta quarta-feira, 3, o indiciamento do cidadão russo Denis Gennadievich Kulkov, suspeito de executar uma operação de verificação de cartão de crédito roubado que gerou dezenas de milhões em prejuízo aos clientes e processadoras de pagamentos. 

Acredita-se que Kulkov seja o criador do serviço Try2Check em 2005, uma plataforma que logo se tornou muito popular entre os cibercriminosos no comércio ilegal de cartões de crédito e ajudou o suspeito a ganhar pelo menos US$ 18 milhões em Bitcoin.

O serviço era usado por quem lidava com a compra e venda de números de cartões de crédito roubados e precisava verificar qual porcentagem de cartões era válido e ativo, incluindo mercados da dark web como o Joker’s Stash para teste de cartão.

Com a ajuda da plataforma Try2Check, o réu vitimou não apenas os titulares e emissores de cartão de crédito, mas também uma importante empresa de processamento de pagamentos dos EUA cujos sistemas foram explorados para realizar as verificações de cartão.

O Try2Check também foi retirado do ar nesta quarta-feira após uma operação conjunta entre o governo dos EUA e órgãos policiais na Alemanha e na Áustria, incluindo unidades do Serviço de Inteligência Criminal Austríaco, o Escritório Federal de Polícia Criminal da Alemanha (BA), o Escritório Federal Alemão de Segurança da Informação (BSI) e a Direção Central Francesa da Polícia Judiciária (DCPJ).

“O Try2Check executou dezenas de milhões de verificações de cartão de crédito por ano e apoiou as operações das principais lojas de cartões que geraram centenas de milhões em bitcoin em lucros”, disse o DOJ. “Durante um período de nove meses em 2018, o site realizou pelo menos 16 milhões de verificações e, durante um período de 13 meses, a partir de setembro de 2021, o site realizou pelo menos 17 milhões de verificações.”

Veja isso
Volume de cartões de crédito roubados cai 94% globalmente
Hackers injetam ladrões de cartão em módulos de pagamentos

O Departamento de Estado dos EUA também anunciou uma recompensa de US$ 10 milhões por meio do programa “Recompensas pela Justiça” para quem fornecer informações que levem à captura de Kulkov, que agora reside na Rússia. Se considerado culpado e condenado, Kulkov pode pegar 20 anos de prisão assim que for preso.

“O indivíduo nomeado na acusação de hoje é acusado de operar um serviço criminoso com alcance imensurável para financiar outras atividades ilícitas com impacto global”, disse o agente especial encarregado do Serviço Secreto dos EUA, Patrick J. Freaney. “Graças à cooperação e dedicação de nossa comunidade global de aplicação da lei, o Try2Check não pode mais servir como um veículo para atividades criminosas contínuas ou lucros ilícitos”, concluiu. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar: