Polícia derruba EncroChat, prende 6.500 e retém US$ 979 milhões

Da Redação
28/06/2023

A Europol (Agência da União Europeia para a Cooperação Policial) anunciou na terça-feira, 27, que a derrubada da plataforma de comunicações móveis criptografadas EncroChat levou à prisão de mais de 6.600 pessoas e à apreensão de US$ 979 milhões em fundos ilícitos.

A plataforma, considerada o WhatsApp dos criminosos, executava uma versão especial e reforçada do Android que prometia aos usuários criptografia inquebrável, anonimato e nenhuma rastreabilidade. O serviço também fornecia recursos de autodestruição de mensagem, limpeza de dispositivo, inicialização à prova de adulteração e um mecanismo criptográfico de hardware certificado FIPS 140-2 resistente à força bruta.

Esses recursos eram valorizados por criminosos que desejavam se comunicar com segurança, então dezenas de milhares pagaram € 1.500 (o equivalente a US$ 1.635) por uma assinatura de seis meses com cobertura global e suporte 24 horas por dia, 7 dias por semana. Os próprios telefones EncroChat foram vendidos por um pagamento único de € 1.000 (US$ 1.090) e podiam ser apagados remotamente, se necessário.

Em 2020, uma operação policial europeia em larga escala se infiltrou silenciosamente na plataforma EncroChat e conseguiu analisar milhões de mensagens compartilhadas entre seus usuários após quebrar o algoritmo de criptografia.

Desde então, unidades policiais na França e na Holanda, trabalhando em coordenação com seus pares em outros países, prenderam 6.558 indivíduos, usuários do EncroChat, incluindo 197 alvos de alto valor. 

Isso foi possível graças à análise de 115 milhões de conversas entre cerca de 60 mil usuários da plataforma. Com esses dados, a polícia conseguiu localizar e apreender 270 toneladas de drogas, 971 veículos, 271 propriedades, 923 armas, 68 explosivos, 40 aviões e 83 barcos. Os agentes confiscaram € 740 milhões (US$ 807 milhões) em dinheiro e congelaram outros € 154 milhões (US$ 168 milhões).

Veja isso
Europol fecha serviço de lavagem de criptomoedas ChipMixer
Europol fecha 50 plataformas de DDoS-as-a-service

A Europol diz que a maioria dos usuários do EncroChat eram membros do crime organizado (34,8%) ou traficavam drogas (33,3%). O restante se envolveu em lavagem de dinheiro (14%), assassinatos (11,5%) e tráfico de armas de fogo (6,4%).

Até agora, os usuários presos do EncroChat foram condenados a uma pena total de 7.134 anos de prisão, embora nem todos tenham sido condenados ainda. Após a derrubada do EncroChat, muitos de seus usuários migraram para um serviço alternativo chamado Sky ECC, que funcionava como pessoa jurídica.

A Europol e investigadores de várias unidades ciberpoliciais europeias quebraram a criptografia do Sky ECC e monitoraram as comunicações entre cerca de 70 mil usuários. Em 9 de março de 2021, a polícia da Bélgica e da Holanda realizou incursões simultâneas nas casas de alvos de alto valor, resultando em várias prisões e apreensões de bens. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar: