Polícia da europeia quer barrar criptografia em redes sociais

Da Redação
25/04/2024

Chefes de polícia europeus publicaram declaração conjunta apelando à indústria e aos governos que tomem medidas urgentes para garantir a segurança pública nas plataformas de redes sociais. Segundo eles, as medidas de privacidade que estão sendo implementadas atualmente, como a criptografia de ponta a ponta, impedirão que as bigtechs combatam ofensas, fake news e golpes em suas plataformas. Irá também impedir as autoridades de obter e utilizar provas em investigações para prevenir e processar os crimes mais graves, como o abuso sexual de crianças, o tráfico de seres humanos, contrabando de drogas, homicídios, crimes econômicos e o terrorismo.

A declaração obteve apoio da Europol e dos chefes de polícia europeus, e é uma reação ao início da implementação da criptografia de ponta a ponta na plataforma de mensagens da Meta, dona do Facebook, Instagram e WhatsApp.

Veja isso
Europol lança relatório sobre sistema que financia o cibercrime
Europol alerta para possíveis usos criminosos do ChatGPT

“As nossas casas estão se tornando mais perigosas do que as nossas ruas à medida que o crime se espalha online. Para manter a nossa sociedade e as pessoas seguras, precisamos que o ambiente digital seja protegido. As plataformas têm a responsabilidade social de desenvolver um ambiente mais seguro onde a aplicação da lei e a justiça possam realizar o seu trabalho. Se a polícia perder a capacidade de recolher provas, a nossa sociedade não será capaz de proteger as pessoas de se tornarem vítimas de crimes”, alertou a diretora executiva da Europol, Catherine De Bolle.

A declaração conjunta foi acordada em uma reunião dos chefes de polícia europeus, realizada em Londres, organizada pela Agência Nacional do Crime, no dia 18 deste mês.

Foram convidados os chefes de polícia de todos os estados-membros da União Europeia e dos países associados a Schengen, juntamente com o diretor executivo da Europol.

Compartilhar: