e-commerce-3228418_640.jpg

Perda global com fraude em e-commerce atingirá US$ 25 bilhões até 2024

Da Redação
30/03/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Relatório prevê que o prejuízo com fraude em pagamento online deve aumentar 50% nos próximos quatro anos

e-commerce-3228418_640.jpg

As perdas globais com fraude em pagamento online devem aumentar mais de 50% nos próximos quatro anos, excedendo US$ 25 bilhões por ano, de acordo com um novo relatório da Juniper Research.

O relatório, intitulado “Fraude de pagamento on-line: ameaças emergentes, análise de segmentos e previsões de mercado 2020-2024”, previa um crescimento de 52% nas perdas de comerciantes com fraudes durante o período.

A crescente popularidade das compras online combinada com a segurança das transações com cartão presente por meio da iniciativa EMV (Europay, MasterCard e Visa) está contribuindo para o impulsionamento de fraudes no comércio eletrônico, afirma o relatório.

Isso ocorre apesar do lançamento de verificações de autenticação segura do cliente (SCA) na Europa, embora essa iniciativa tenha sido adiada várias vezes. As novas regras, parte do regulamento bancário PSD2 da União Europeia, entrarão em vigor até 31 de dezembro de 2020 na Europa e março de 2021 no Reino Unido.

Veja isso

6,6 milhões de tentativas de fraude no e-commerce em 2019

Magecart rouba cartões em 100 mil e-commerces (inclusive aqui)

Eles determinam que certas transações estejam sujeitas à autenticação de dois fatores, a fim de ajudar a bloquear os fraudadores. No entanto, há preocupações de que o SCA também possa criar atritos extras para o usuário, o que afasta os consumidores.

A Juniper Research pediu aos comerciantes que trabalhem em estreita colaboração com os fornecedores de segurança para projetar e implementar verificações extras de autenticação em aplicativos de compras que minimizem o atrito. Ela também argumenta que os e-commerces devem assumir uma função mais educacional, fornecendo informações aos clientes sobre a necessidade de segurança cibernética aprimorada e alterações nos processos de pagamento, além de detalhes sobre alguns dos golpes mais populares. O relatório afirma que isso era particularmente importante na China, que deve ser responsável por 42% das fraudes no comércio eletrônico até 2024.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest