gps-4959153_1280.jpg

Pentágono e Orbital Insight criam anti spoofing de GPS

Divisão de Inovação do Pentágono está trabalhando com a empresa de inteligência geoespacial Orbital Insight para desenvolver uma plataforma capaz de detectar sinais falsificados do Sistema Global de Navegação por Satélite (GNSS)
Da Redação
14/02/2022

A Unidade de Inovação do Departamento de Defesa dos EUA uniu forças com o setor privado para combater a falsificação de dados transmitidos por satélites. Como parte do programa Harmonious Rook, a Divisão de Inovação do Pentágono está trabalhando com a empresa de inteligência geoespacial Orbital Insight para desenvolver uma plataforma capaz de detectar sinais falsificados do Sistema Global de Navegação por Satélite (GNSS) – provedor de sinais de GPS.

“Usando sua pilha de dados multissensor, inteligência artificial e recursos de aprendizado de máquina, a plataforma Orbital Insight alertará analistas e operadores sobre possíveis eventos de interferência e falsificação, técnicas comumente usadas por invasores para ocultar atividades ou sabotagem”, disse a Orbital Insight em um comunicado de imprensa sobre o lançamento.

Veja isso
Ericsson anuncia solução contra spoofing de GPS
Falha em rastreador GPS expõe crianças e idosos

Possíveis manipulações de dados de geolocalização preocupam não apenas o Pentágono, mas também os usuários de todo o mundo que dependem de sistemas de navegação por satélite. No entanto, a falsificação dos dados também pode representar uma ameaça à segurança nacional de vários países e afetar missões que dependem de funções de posicionamento, navegação e tempo.

Anteriormente, o Pentágono protegia seus sistemas GPS de falsificação (Spoofing) atualizando satélites para transmitir sinais de código M resistentes a interferências e implantando dispositivos de usuário atualizados e antenas capazes de receber esses sinais. No entanto, a tecnologia que está sendo desenvolvida pelo programa Harmonious Rook está focada na detecção de falsificação e combinará dados de geolocalização com algoritmos avançados que podem reconhecer anomalias relacionadas à falsificação.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Últimas Notícias