seguro cibernético

Pandemia pode complicar cláusulas de seguro cibernético?

Da Redação
28/04/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Enquanto os funcionários em quarentena mantêm a segurança de sua saúde ficando em casa, esse fato pode estar comprometendo a apólice de seguro da empresa.

Com a maioria das organizações exigindo que seus funcionários trabalhem em casa por causa da pandemia, um outro problema na dimensão da cibernética surge para as empresas: suas apólices de seguro. No caso de uma violação ou qualquer outro incidente do gênero, pode haver limitações na cobertura oferecida pela apólice de seguro de responsabilidade cibernética, com base no tipo de hardware que está sendo usado, observa Jeff Dennis, da consultoria legal Newmeyer Dillion. Como em todos os contratos, diz ele, a existência ou não de cobertura dependerá dos termos e condições específicos da própria apólice de seguro. Atualmente, consultoria de seguros e de análise de risco Marsh tem inclusive um programa para fazer uma espécie de certificação de​​ produtos e serviços que as principais seguradoras acreditam ser eficazes contra as principais ameaças cibernéticas.

Um problema que pode ser menosprezado é que muitas apólices de seguro de responsabilidade cibernética fazem uma distinção entre o hardware de computador pertencente à empresa segurada e o hardware de computador (ou outros dispositivos) pertencentes aos funcionários da empresa afirma o especialista. Essa distinção se torna crítica, pois os contratos de seguro podem limitar ou excluir a cobertura do hardware que não é de propriedade do segurado. A apólice de seguro também pode ter outras exigências relacionadas ao uso de dispositivos pessoais pelos funcionários – como, por exemplo, exigir uma apólice formal para tratar do uso desses dispositivos.

No Brasil, a seguradora AIG informou ao CISO Advisor que “a adoção do trabalho remoto não modifica nenhuma condição contratada na apólice de seguro de riscos cibernéticos AIG, uma vez que na fase inicial de análise do risco (subscrição), buscamos identificar os diferentes aspectos do negócio do cliente, inclusive as medidas de segurança existentes para o trabalho remoto”.

Veja isso
Disputa Mondelez/Zurich traz incerteza em seguro cyber
Seguro para ransomware: vale a pena ter ou não?

Algumas organizações podem fornecer laptops de propriedade da empresa aos funcionários, enquanto outras permitem que os funcionários usem seus próprios dispositivos para realizar o trabalho. As empresas podem ser forçadas a permitir que os funcionários trabalhem em casa durante essa pandemia – usando laptops, tablets e outros dispositivos pessoais necessários para concluir seu trabalho. Dependendo da política de responsabilidade cibernética, pode não haver cobertura para o uso desse hardware que não seja da empresa. E no caso de uma violação ou outro incidente cibernético, pode não haver cobertura para danos subseqüentes ou outra cobertura que você espera ter.

As apólices de seguro de responsabilidade cibernética devem ser revisadas por especialistas em cobertura de seguro cibernético para entender todas as coberturas e limitações disponíveis. É melhor ser proativo e concluir imediatamente uma revisão do seguro para garantir que você tenha a cobertura esperada durante esta pandemia.

Com agências internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest