OT vulnerável em 83% das organizações, diz pesquisa

95% dos líderes de segurança cibernética admitiram que poderiam fazer melhorias em seu monitoramento holístico e em tempo real de ameaças cibernéticas
Da Redação
22/10/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Um ataque cibernético a sistemas de tecnologia operacional (OT) tem o potencial de ‘incapacitar’ a esmagadora maioria das organizações que dependem dela nos EUA, de acordo com uma pesquisa feita pela empresa de segurança industrial Sapien Cyber com 100 líderes de segurança empresarial. A pesquisa indica que 83% das empresas ficariam incapacitadas com o ataque.

O  estudo independente conduzido pela empresa de pesquisa Norstat mostra que a grande maioria (88%) reconhece haver um aumento anual do número de ameaças à segurança cibernética enfrentadas por seus negócios. Apesar de 90% dos entrevistados que trabalham em empresas dos EUA afirmarem que avaliaram as ameaças à Tecnologia Operacional, como aquecimento, ventilação e sistemas de ar condicionado, menos de um em dez (8%) afirmam que a segurança física, como ambientes OT, é tomada mais a sério do que as redes de TI.

Veja isso
Gigante da indústria de IoT interrompe produção após ataque de ransomware
Crescem orçamentos para segurança industrial

Pouco mais da metade (57%) disse que trata os sistemas físicos e de segurança cibernética como igualmente importantes, e 93% afirmaram que seu sistema de gerenciamento de edifícios fazia parte da estratégia de segurança cibernética da organização.

Em outras conclusões: 95% dos líderes de segurança cibernética admitiram que poderiam fazer melhorias em seu monitoramento holístico e em tempo real de ameaças cibernéticas. Enquanto 64% dos entrevistados disseram que a pandemia COVID-19 causou uma interrupção significativa para suas equipes de segurança cibernética.

Com informações da assessoria de imprensa

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)