Orçamento dos EUA para ciberdefesa alcança US$ 9,8 bilhões

Da Redação
18/02/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Em comparação, o orçamento brasileiro para este ano é de R$ 19 milhões ou US$ 4,38 milhões segundo relatório sobre Política Nacional de Defesa Cibernética, aprovado pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Congresso em Dezembro de 2019.

O governo dos EUA solicitou para despesas de cyber do Departamento de Defesa, no orçamento do próximo ano (2021), um total de US$ 9,8 bilhões. O valor é praticamente o mesmo do ano anterior, quando foi de US$ 9,6 bilhões. Os dados que confirmam a importância estratégica do quinto domínio da guerra para o governo dos EUA. Em comparação, o orçamento brasileiro para este ano é de R$ 19 milhões ou US$ 4,38 milhões segundo relatório sobre Política Nacional de Defesa Cibernética, aprovado pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Congresso em Dezembro de 2019.

O orçamento americano foi apresentado em 10 de fevereiro. Esses investimentos da administração dos EUA no domínio do ciberespaço estão divididos assim:

  • Cibersegurança – US $ 5,4 bilhões
  • Ciberespaço – Operações – US $ 3,8 bilhões
  • Ciência e Tecnologia do Ciberespaço – US $ 556 milhões

Além dos US $ 9,8 bilhões, o orçamento financia:

  • Inteligência artificial – US $ 841 milhões
  • Cloud – US $ 789 milhões

Os itens em detalhe:

♦  US $ 5,4 bilhões para cíbersegurança – O orçamento de US $ 5,4 bilhões em segurança cibernética visa aumentar os recursos em soluções entre domínios, soluções de criptografia de última geração e modernizações de rede. O objetivo é reduzir o risco de ataques cibernéticos em redes, sistemas e informações. O valor está subdividido assim:

  • US $ 678 milhões para modernização da criptografia e plataformas de próxima geração
  • US $ 296,2 milhões para garantir pontos de informação e compartilhamento
  • US $ 198,5 milhões para a operacionalização da modernização do Gerenciamento de Identidade e Acesso a Credenciais (ICAM)
  • US $ 67,2 milhões para Comply to Connect (C2C) e Automated Continuous Endpoint Monitoring (ACEM)
  • US $ 69,8 milhões para infraestrutura crítica

♦  US $ 3,8 bilhões para operações. Esse investimento cobriria operações ofensivas e defensivas e apoiaria a implementação da Estratégia Cibernética, financiando programas e atividades. Os detalhes são:

  • US $ 431,6 milhões para a cooperação com aliados e parceiros na condução de operações defensivas no ciberespaço, de “busca avançada” para combater atores cibernéticos malignos
  • US $ 238,6 milhões para o desenvolvimento de capacidades para integrar comando e controle conjuntos, de coalizão e entre agências, para aprimorar as operações de vários domínios
  • US $ 460,4 milhões para atividades de garantia de missão que permitam ao Departamento entender melhor os riscos de suas principais missões e aumentar a resiliência e implementar mitigações para reduzir a vulnerabilidade dos principais ativos.

O documento inclui outros US $ 2,2 bilhões para apoiar as Forças de Missões Cibernéticas.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest