banner senha segura
senhasegura
ONU.jpg

ONU discute diplomacia cibernética e sanções contra ataques

Reações a operações cibernéticas patrocinadas por estados poderiam ir da expulsão de diplomatas a sanções econômicas
Da Redação
12/02/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A França está liderando na ONU a proposta de criação um grupo de países que substituirá os fóruns existentes no órgão sobre segurança cibernética, e que serão extintos em 2021. A proposta ganhou força e adesões esta semana: durante o Tallin Winter School of Cyber Diplomacy, promovido pelo Ministério das Relações Exteriores da Estônia, representantes de 47 países disseram apoiar a proposta, incluindo os 27 membros da União Europeia. Os Estados Unidos não opinaram.

Veja isso
Biden propõe alocar US$ 10 bilhões para fortalecer ciberdefesa
Conferência de ciberdefesa recomenda colaboração e comunicação

O novo grupo da ONU, se aprovado, realizaria conferências regularmente e consideraria a possibilidade de criar novas normas delineando que tipo de operações cibernéticas estatais são aceitáveis, disse no evento Henri Verdier, embaixador da França para assuntos digitais.

O grupo da ONU discutiria as respostas a ataques cibernéticos patrocinados por governos, envolvendo empresas nas discussões sobre como desenvolver tecnologia segura. Sérias operações cibernéticas patrocinadas por estados poderiam implicar a expulsão de diplomatas ou justificar a imposição de sanções econômicas, disse Johanna Weaver, conselheira especial do embaixador da Austrália para assuntos cibernéticos.

O evento de dois dias (9 e 10 de fevereiro) se concentrou na estabilidade cibernética e nas medidas de acompanhamento, abordando as melhores práticas de implementação de normas cibernéticas, aplicabilidade do direito internacional no ciberespaço e aumento da resiliência na área de segurança cibernética. O programa contou com palestras e painéis de discussão por ciber-diplomatas atuais e antigos, bem como por especialistas de think tanks, universidades e instituições líderes.

Com agências internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório