NortonLifeLock demite em massa para manter resultados

Da Redação
09/01/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A empresa demitiu agora 129 funcionários, sendo 55 em San Francisco e 74 em Mountain View, e ainda demitirá mais 31 em Culver City

Sede da Norton LifeLock

A gigante da segurança cibernética NortonLifeLock – até agosto passado chamada Symantec – está fazendo demissões em massa. Demitiu agora 129 funcionários, sendo 55 em San Francisco e 74 em Mountain View, segundo documentos do Departamento de Desenvolvimento de Emprego da Califórnia. Mas os cortes não terminaram: a empresa cortará mais 31 posições em Culver City, no condado de Los Angeles. E isso vai acontecer ainda este mês. Os últimos cortes são a segunda rodada da empresa em alguns meses. Ela já havia cortados 177 outros postos de trabalho no outono, a maioria em Mountain View, ou seja, logo após a venda da área de cibersegurança de grandes empresas para a Broadcom, por US$ 10,7 bilhões.

Em registros enviados à SEC, em outubro, a empresa estabeleceu um plano de reestruturação de US $ 100 milhões, que incluiu uma redução de 7% em sua força de trabalho global. Ela reportou US $ 608 milhões em receitas trimestrais em outubro, um pouco abaixo do mesmo período do ano anterior.

Os demitidos na última onda variam de vice-presidentes de gerenciamento de produtos, jurídico e engenharia, até equipe de TI e diretores de diversidade, operações de vendas e gerenciamento de produtos. Prevê-se que os cortes sejam permanentes, de acordo com os registros da empresa, e nenhuma das posições é representada por um sindicato. As demissões são as últimas notícias do que tem sido um ano fiscal movimentado para a empresa, sediada em Mountain View, que incluiu a seleção de Vincent Pilette como novo CEO. Pilette ingressou como diretor financeiro em maio do ano passado.

Em novembro, a empresa finalizou a venda de seus negócios de segurança corporativa à Broadcom por US $ 10,7 bilhões. “Com a venda de nossos ativos de segurança corporativa concluída, agora podemos ter um foco melhor em nossa meta de aumentar a produtividade e reduzir a complexidade na maneira como gerenciamos os negócios”, disse Pilette em comunicado.

Esses ativos se tornaram uma espécie de batata quente de segurança cibernética – a Broadcom anunciou no início deste mês que os havia vendido à Accenture por um valor não divulgado. A NortonLifeLock oferece tecnologia de segurança cibernética para os consumidores, que inclui redes privadas virtuais para privacidade online, gerenciadores de senhas e controle dos pais online. Sua subsidiária, LifeLock, oferece serviços que incluem proteção contra roubo de identidade e monitoramento de crédito.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest