News Corp diz que grupo ligado a governo é autor de violação

Da Redação
26/02/2023

A gigante da mídia News Corp, conglomerado ao qual pertence o jornal americano The Wall Street Journal, disse que os invasores por trás de uma violação divulgada no ano passado obtiveram acesso a seus sistemas pela primeira vez dois anos antes, em fevereiro de 2020.

A revelação foi feita em notificações de violação de dados enviadas aos funcionários afetados e que tiveram algumas de suas informações pessoais e de saúde acessadas, a partir da invasão por hackers de um sistema de armazenamento de e-mail e documentos usado por vários negócios da News Corp.

O incidente afetou vários ramos de notícias do conglomerado editorial, incluindo o The Wall Street Journal, o The New York Post e suas operações de notícias no Reino Unido.

“Com base na investigação, a News Corp entende que, entre fevereiro de 2020 e janeiro de 2022, uma parte não autorizada obteve acesso a determinados documentos comerciais e e-mails de um número limitado de contas de seu pessoal no sistema afetado, algumas das quais continham informações pessoais”, disse a empresa no comunicado. “Nossa investigação indica que essa atividade não parece estar focada na exploração de informações pessoais. Não temos conhecimento de relatos de roubo de identidade ou fraude relacionados a esse problema.”

De acordo com a News Corp, as informações pessoais acessadas pelos invasores incluem um ou mais dos seguintes itens para cada indivíduo afetado pela violação de dados: nomes, datas de nascimento, números do seguro social, números de carteira de motorista, números de passaporte, Informações da conta bancária, Informações médicas e do seguro de saúde.

A gigante da mídia disse no ano passado, quando divulgou pela primeira vez a violação de segurança, que os invasores tinham ligações com um “governo estrangeiro”, que exfiltraram alguns dados durante o tempo em que tiveram acesso a seus sistemas.

Veja isso
Fox News tem 13 milhões de dados de funcionários vazados
Holding do Wall Street Journal atacada por grupo ligado à China

“A Mandiant avalia que aqueles por trás dessa atividade têm um nexo com a China e acreditamos que provavelmente estão envolvidos em atividades de espionagem para coletar informações para beneficiar os interesses da China”, disse David Wong, vice-presidente de resposta a incidentes da Mandiant, ao BleepingComputer na época.

As propriedades da News Corp incluem, além do The New York PostThe Wall Street Journal, a Dow Jones, MarketWatch, Fox News, Barron’s, The Sun e a editora do jornal britânico News UK, entre outras.

Em 27 de outubro do ano passado, o The New York Post também divulgou que foi hackeado depois que invasores usaram seu site e conta do Twitter para publicar manchetes ofensivas e tuítes direcionados a vários políticos dos Estados Unidos. Um dia depois, o tablóide revelou que o incidente foi causado por um de seus funcionários, que foi demitido após a descoberta de seu envolvimento.

Compartilhar: