Netskope expande plataforma para reduzir riscos na nuvem

Empresa intensifica estratégia no segmento financeiro com plataforma de segurança para controle e compliance com as mais recentes regulamentações, como LGPD e Bacen

cloud-embratel.jpg

Desde o ano passado, a regulamentação brasileira vem sofrendo mudanças com o objetivo de incentivar as empresas a investirem em segurança cibernética e oferecer aos usuários uma garantia maior de proteção de dados. Em abril, o Banco Central divulgou a resolução nº 4.658 que estabelece políticas e requisitos de segurança para contratação de serviços de processamento e armazenamento de dados, além de computação na nuvem. A resolução visa reforçar a segurança das operações das instituições financeiras que começaram a utilizar provedores de nuvem pública no Brasil e no exterior.

Para aproveitar a demanda potencial por serviços de cloud gerada por essa exigência do BC e também pela  Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), prevista para entrar em vigor em 2020, a Netskope, fornecedora de soluções de segurança na nuvem, está intensificando a estratégia de segurança com sua plataforma One Cloud, que possibilita às instituições financeiras o controle e compliance com as recentes regulamentações.

LEIA ISSO
Classificação de dados é chave em GPDR e LGPD
O papel educativo da autoridade nacional de proteção de dados

O diretor regional de vendas da Netskope para a América Latina, Alain Karioty, acha fundamental compreender que, à medida que mais dados são transferido para a nuvem — sejam informações bancárias, de clientes ou investidores, relatórios ou estratégias de negócios —, a proteção das informações se torna um desafio cada vez maior para as organizações do setor financeiro, principalmente quando essa migração é realizada sem o conhecimento ou permissão da TI. “Para consolidar a segurança no gerenciamento desse volume intenso de dados confidenciais, essas empresas precisam saber quais serviços na nuvem estão utilizando, como aplicar controles de acesso, entender sobre Proteção de Perda de Dados (DLP) e restringir atividades de risco.”

ABORDAGEM PARA CLOUD

Karioty observa que sem visibilidade e controle desses serviços na nuvem o departamento de TI não consegue garantir compliance e nem proteger as informações mais confidenciais. De acordo com Karioty, as ferramentas legadas de segurança que protegem apenas um perímetro digital determinado são insuficientes para a nuvem, e as organizações financeiras exigem uma abordagem totalmente voltada para cloud e que seja também capaz de acompanhar a evolução dos negócios.

“A computação na nuvem contribui para a eficiência e a prestação de serviços, especialmente quando as aplicações e softwares são oferecidos como um serviço pay-per-use (IaaS, PaaS e SaaS). No entanto, o risco de ataques cibernéticos e as diferentes regras e regulamentos que regem o setor financeiro exigem proteção e controle das informações mais confidenciais. Por esse motivo, existe a necessidade de recuperar a visibilidade e o controle dos serviços nesse ambiente, algo impossível com as tecnologias tradicionais de segurança”, explica Alain Karioty, diretor regional de Vendas da Netskope para a América Latina. “As maiores instituições financeiras da América Latina estão adoptando a Netskope como aliada estratégica para o uso de serviços SaaS, IaaS, PaaS, e Web, manter a visibilidade e o controle, sem sacrificar a segurança”, completa o executivo.

Compartilhe
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp