Multicloud híbrida crescerá 12 vezes nos próximos três anos

Da Redação
29/05/2024

A Nutanix publicou ontem a pesquisa Enterprise Cloud Index – ECI (Índice de Nuvem Empresarial), encomendada à Vanson Bourne. Ela mede o progresso corporativo com a adoção da nuvem. O Estudo, que contou com líderes brasileiros de TI, revelou expectativa de aumentar em 12 vezes a adoção de multicloud híbrida no período de um a três anos – a fim de modernizar as infraestruturas de TI devido a fatores como IA, segurança e sustentabilidade.  A Vanson Bourne conduziu a pesquisa, entrevistando 1.500 tomadores de decisão de TI e DevOps/Engenharia de Plataforma em todo o mundo em dezembro de 2023.

Veja isso
Cloudflare frustra hack a seu data center fora de operação em SP
Infostealer Predator AI traz risco grave para serviços de nuvem

O estudo mostrou que a grande maioria (90%) dos entrevistados brasileiros do ECI está adotando uma abordagem “cloud-smart” para sua estratégia de infraestrutura, que envolve aproveitar o melhor ambiente de TI para cada uma de suas aplicações/cargas de trabalho. Da mesma forma, 89% dos entrevistados brasileiros e 87% daqueles em toda a região das Américas concordaram que suas organizações adotaram uma filosofia de nuvem inteligente. 

“Seja por causa de IA, sustentabilidade ou segurança, as organizações de TI estão enfrentando uma pressão cada vez maior para modernizar sua infraestrutura de TI rapidamente”, explica Leonel Oliveira, country manager da Nutanix Brasil. “Dentre os entrevistados brasileiros do ECI, 78% planejam investir na modernização das TI em 2024, com 83% planejando aumentar os seus investimentos especificamente para apoiar a IA. No quesito de segurança, 81% dos entrevistados, sofreram pelo menos um ataque de ransomware nos últimos três anos”. 

Oliveira reforçou que o ECI deste ano revela que as organizações precisam apoiar as tecnologias de amanhã, preparando hoje a sua infraestrutura de TI para o futuro. A multicloud híbrida continua a emergir como o padrão preferido de infraestrutura devido à flexibilidade que oferece para suportar desde ambientes tradicionais até aplicações modernas em contêineres e movimentação entre nuvens e ambientes locais.

Inteligência Artificial 

A implementação da estratégia de IA é uma prioridade máxima do C-level. Os entrevistados no Brasil mencionaram o tema com mais frequência (60%) como uma prioridade para os CIO/CTO em suas organizações. Ainda, 83% afirmaram que as suas organizações planejam aumentar o investimento no apoio à estratégia de IA, enquanto 81% apontaram que o aumento de investimento inclui análise de dados, uma área tecnológica relacionada. Ao mesmo tempo, mais de 90% dos entrevistados no Brasil concordaram que a privacidade dos dados será uma preocupação às suas organizações, especificamente devido à adoção da IA. Além disso, quase um terço (32%) dos entrevistados no Brasil afirma que a execução de aplicações de IA na infraestrutura de TI atual constitui um desafio significativo.

Sustentabilidade 

A grande maioria dos entrevistados do Brasil (85%) concorda que a sustentabilidade é prioridade às suas organizações, e quase todos os respondentes (99%) disseram ter buscado uma ou mais iniciativas de sustentabilidade durante o ano passado. Além disso, os entrevistados do Brasil consideram o cumprimento das metas de sustentabilidade menos desafiador do que os profissionais de TI de outros lugares: apenas 26% dos entrevistados brasileiros descreveram a tarefa como um “desafio significativo”, em comparação com 36% dos entrevistados globais e 40% dos entrevistados nas Américas.

Segurança 

O relatório concluiu que a segurança e a inovação foram os principais impulsionadores da migração de aplicações de um ambiente para outro no ano passado. Os inquiridos do ECI no Brasil identificaram o aumento dos investimentos para prevenção contra ransomware/malware como a sua prioridade número um – seguido pelo investimento em estratégia de IA e análise de dados. 86% dos entrevistados brasileiros disseram que planejam aumentar seus orçamentos para soluções de prevenção de ransomware. Essa taxa de aumento de investimento entre os entrevistados brasileiros foi a mais alta entre as nove categorias classificadas, incluindo estratégia de IA (83% planejam aumentar) e análise de dados (81% estudam ampliar).

Usando suas infraestruturas de TI atuais, os cinco principais desafios de gerenciamento de aplicações e dados citados pelos entrevistados no Brasil são:

1. Privacidade e conformidade de dados

2. Silos operacionais entre equipes que gerenciam diferentes ambientes

3. Prevenção contra ransomware/malware

4. Cumprimento das metas de sustentabilidade

5. Carga de trabalho e migração de aplicações

As cinco principais áreas com maior investimento em 2024 entre os entrevistados no Brasil são:

1. Prevenção contra ransomware/malware

2. Estratégia de IA

3. Análise de dados

4. Esforços e tecnologias de sustentabilidade

5. Custos da nuvem

As principais conclusões do relatório ECI deste ano com empresas no Brasil incluem:

  • Sustentabilidade é uma prioridade para (85%) das organizações ouvidas no Brasil. Especificamente, a maior porcentagem de organizações entrevistadas no Brasil citou programas de trabalho remoto como foco de suas iniciativas de sustentabilidade durante o ano passado (51%), seguido pela modernização da infraestrutura de TI para melhorar a sustentabilidade (50%). 
  • No Brasil, 81% dos entrevistados disseram ter sofrido pelo menos um ataque de ransomware nos últimos três anos. A maioria (69%) conseguiu restaurar totalmente as suas operações em horas ou dias, enquanto 14% relataram necessitar de várias semanas para restaurar totalmente as operações após o ataque. Menos de um terço das organizações no Brasil e nos grupos de resposta globais e nas Américas conseguiram se recuperar em poucas horas. Todos os grupos parecem ser desafiados quando se trata de capacidades de resposta rápida a ransomware. Na verdade, 88% dos entrevistados brasileiros concordam que sua organização poderia fazer melhorias em sua postura de proteção contra ransomware. Além disso, 36% dos entrevistados do Brasil acreditam que a proteção contra ransomware e malware continua sendo um “desafio significativo” de gerenciamento com sua atual infraestrutura de TI. 
  • O Brasil classifica a proteção contra ransomware e outros malwares entre os principais motivadores de suas escolhas de infraestrutura. A maior percentagem (47%) mencionou o potencial da infraestrutura para ajudar a evitar ataques como um fator que influencia as suas decisões de infraestrutura. O apoio aos serviços de dados e a capacidade da infraestrutura para suportar a IA foram citados como razões críticas, com 44% a escolher cada um destes fatores.
  • Quase todas as organizações brasileiras entrevistadas (96%) migraram uma ou mais aplicações para um ambiente de TI diferente nos últimos 12 meses. O motivo mencionado com mais frequência, por 49% dos entrevistados do Brasil, foi o desejo de melhorar a velocidade de acesso aos dados, um raciocínio que ultrapassa em muito a média. 

O custo e a necessidade de cumprir um mandado executivo foram mencionados com menos frequência como impulsionadores da mobilidade de aplicações pelos três grupos, mas por muito menos entrevistados no Brasil do que em outros lugares. Além disso, uma porcentagem comparativamente pequena de entrevistados brasileiros (22%) disse que a carga de trabalho e a migração de aplicativos apresentam desafios significativos às suas organizações. Esse resultado é 13 pontos inferior à média global (35%) e 8 pontos inferior à média das Américas (30%).

  • Os entrevistados no Brasil enfrentam diversos desafios ao gerenciar seus dados. Os brasileiros apontaram com mais frequência seguir as orientações sobre armazenamento e uso de dados como um desafio de gerenciamento de dados (64%). Muitas vezes, esta questão está relacionada à segurança, na medida em que a regulamentação de privacidade, como a LGPD no Brasil, contém mandatos estritos sobre onde os dados do cliente podem e não podem residir – e os regulamentos tendem a mudar frequentemente, tornando a conformidade um alvo em movimento. O armazenamento e o uso de dados foram seguidos de perto pela prevenção de ransomware e segurança de dados (62%) como um desafio de gerenciamento entre os entrevistados do Brasil.
  • Quase todas as organizações entrevistadas no Brasil (97%) afirmaram ter conteinerizado pelo menos algumas de suas aplicações. A conteinerização envolve a virtualização de aplicativos de software para que possam ser executados da mesma maneira em qualquer plataforma de nuvem subjacente, privada ou pública. Como tal, a conteinerização pode ser considerada um princípio central de uma estratégia multicloud híbrida inteligente em nuvem. Segundo os resultados do ECI, a conteinerização de aplicações está se tornando cada vez mais difundida. Além de 97% dos entrevistados do Brasil, 95% das Américas e 93% dos entrevistados globalmente indicaram que alguma parte do seu patrimônio de aplicações foi conteinerizada. Ao mesmo tempo, uma porcentagem muito pequena em todos os grupos afirmou ter conteinerizado todas as suas aplicações: 2% no Brasil, 3% nas Américas e 4% dos entrevistados globais. Essa alta utilização de implantação/desenvolvimento de aplicações baseadas em contêineres pode ser um indicador do motivo pelo qual 24% dos entrevistados no Brasil disseram que o desenvolvimento de aplicações modernas não é um desafio para sua infraestrutura de TI atual. Este resultado foi o mais elevado de qualquer país da região das Américas e ficou 9 pontos acima da média das Américas de 15% e 7 pontos acima da média de resposta global.

Pelo sexto ano consecutivo, Vanson Bourne conduziu uma pesquisa em nome da Nutanix, entrevistando 1.500 tomadores de decisão de TI e DevOps/Engenharia de Plataforma em todo o mundo em dezembro de 2023. A base de entrevistados abrangeu vários setores, tamanhos de negócios e geografias, incluindo Norte e Sul da América; Europa, Médio Oriente e África (EMEA); e região Ásia-Pacífico-Japão (APJ).Para saber mais sobre o relatório e as descobertas, baixe o Nutanix Enterprise Cloud Index completo aqui.

Compartilhar: