Photo by Adi Goldstein on Unsplash

Mitigação do Retbleed degrada em até 70% CPUs Intel

Da Redação
12/09/2022

Testes internos feitos pela VMWare mostraram que a mitigação do kernel Linux para Retbleed tem um impacto significativo no desempenho da CPU, principalmente em ambientes virtualizados: em computação, degradação de até 70%; em rede, até 30%; e em armazenamento até 13%. O Retbleed é uma vulnerabilidade de segurança que afeta os processadores Intel Skylake, Kaby Lake e Coffee Lake, AMD Zen, Zen + e Zen 2. A informação surgiu na sexta-feira dia 9 de Setembro de 2022 numa mensagem de Manikandan Jagatheesan, da área de Engenharia de desempenho da VMware, na lista de discussão do Kernel Linux. O engenheiro fez a descoberta usando a distribuição Linux no hipervisor ESXi e a última atualização do kernel, versão 5.19.

Veja isso
Cresce sofisticação no uso de deepfakes, alerta VMware
Fundação Linux corrige bug no kernel de execução de código

O kernel Linux 5.19 é o primeiro a oferecer a capacidade de reduzir o impacto do Retbleed. O pior caso apontado pelo engenheiro da VMWare está em tarefas puramente computacionais e está relacionado à criação de threads, com o tempo necessário passando de 16 para 27 milissegundos. Não está claro ainda se a deterioração de desempenho é a mesma em máquinas virtuais com hipervisores diferentes do ESXi.

Os testes da VMware foram realizados nos processadores Intel Skylake, que foram produzidos de 2015 a 2017 e serão usados ​​em servidores por muito tempo.

Compartilhar: