cyber-4444450_640.jpg

Militares chineses são acusados de hackear Equifax

Da Redação
10/02/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

De acordo com a acusação, os réus ​​exploraram uma vulnerabilidade no software Apache Struts Web Framework usado pelo portal de disputas online da Equifax para obter acesso não autorizado ao sistema da empresa

cyber-4444450_640.jpg

Os Estados Unidos indiciaram neste segunda-feira, 10, militares chineses sob a acusação de invadirem os sistemas da empresa de gestão de crédito Equifax e roubar segredos comerciais valiosos e dados pessoais de quase 150 milhões de americanos.

O Tribunal Federal do Distrito Norte da Geórgia, em Atlanta, retomou o júri na semana passada contra quatro membros do Exército de Libertação do Povo Chinês (PLA). Wu Zhiyong, Wang Qian, Xu Ke e Liu Lei são acusados ​​de conspirar para realizar o roubo de dados.

De acordo com a acusação, os réus ​​exploraram uma vulnerabilidade no software Apache Struts Web Framework usado pelo portal de disputas online da Equifax para obter acesso não autorizado ao sistema da empresa.

Uma vez invadido o sistema, o quarteto teria realizado cerca de 9 mil consultas, no período de maio a julho de 2017, obtendo nomes, datas de nascimento e números de seguro social de quase a metade dos cidadãos americanos.

Para ocultar sua localização, os acusados teriam roteado o tráfego através de aproximadamente 34 servidores localizados em quase 20 países e usado canais de comunicação criptografados na rede da Equifax para se misturar à atividade normal da rede.

A acusação alega ainda que, para não deixar rastros, os réus excluíram arquivos compactados e apagaram arquivos de log diariamente durante o prolongado ataque cibernético.

“Hoje, responsabilizamos os hackers do PLA por suas ações criminais e lembramos ao governo chinês que temos a capacidade de remover o manto de anonimato na internet e encontrar os hackers que o país implanta repetidamente contra nós”, disse o procurador-geral William P. Barr.

“Infelizmente, o hacking à Equifax se encaixa em um padrão perturbador e inaceitável de invasões e roubos de computadores patrocinados pelo Estado chinês e seus cidadãos que têm como alvo informações de identificação pessoal, segredos comerciais e outras informações confidenciais”, disse o procurador.

Os réus são acusados ​​de conspiração para cometer fraude informática, conspiração para cometer espionagem econômica e conspiração para cometer fraude eletrônica. Eles também são acusados ​​de duas acusações de acesso não autorizado e danos intencionais a um computador protegido, uma acusação de espionagem econômica e três acusações de fraude eletrônica.

Os acusados ​​são todos membros do 54º Instituto de Pesquisa do PLA, um componente das forças armadas chinesas. “O anúncio de hoje dessas acusações destaca ainda mais nosso compromisso de impor consequências aos criminosos cibernéticos, independentemente de quem eles sejam, onde estejam ou que uniforme de país usam”, disse o vice-diretor do FBI, David Bowdich. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest