Microsoft: queda de portal do Azure ocorreu por pico de tráfego 

Da Redação
12/06/2023

A Microsoft revelou em uma atualização da página de status do Azure que a causa raiz da interrupção que afetou o portal do Azure em todo o mundo na sexta-feira passada, 9, foi o que descreveu como um “pico” de tráfego.

Os clientes que desejavam acessar o portal do Azure na tarde de sexta-feira em “portal.azure.com” relataram problemas de conexão e viram um aviso dizendo: “Nossos serviços não estão disponíveis no momento. Estamos trabalhando para restaurar todos os serviços o mais rápido possível. Por favor, verifique em breve”.

Os problemas de conectividade também afetaram outros sites da Microsoft, de acordo com a atualização da empresa na página de status do Azure, incluindo o Entra Admin Center em “entra.microsoft.com” e o Intune em “intune.microsoft.com”.

“Identificamos um pico no tráfego de rede que afetou a capacidade de gerenciar o tráfego para esses sites e resultou em problemas para os clientes acessarem esses sites”, disse a empresa ao descrever a causa preliminar por trás do incidente. “Nós nos envolvemos em diferentes fluxos de trabalho aplicando processos de balanceamento de carga, além das operações de recuperação automática para mitigar o problema. Além disso, continuamos monitorando a integridade da plataforma.”

Embora a Microsoft não tenha fornecido detalhes sobre o que estava causando os problemas de conectividade do portal do Azure, um operador de ameaças conhecido como Anonymous Sudan afirmou ter realizado um ataque DDoS que se correlaciona com o “pico” no tráfego de rede visto pela Microsoft.

Veja isso
Hackers usam console do Azure para acesso a máquinas virtuais
Microsoft corrige três bugs no gerenciamento de API do Azure

O mesmo grupo já havia afirmado ter como alvo empresas americanas para protestar contra a interferência dos Estados Unidos nos assuntos internos do Sudão. No entanto, alguns acreditam que o operador da ameaça por trás desses ataques pode estar ligado à Rússia.

Na semana passada, o Anonymous Sudan também reivindicou outros ataques DDoS em portais da Microsoft, como o Outlook.com e OneDrive, que também foram atingidos por interrupções. A interrupção do Outlook.com começou na noite de segunda-feira, 5, e foi resolvida nas primeiras horas de quarta-feira, 7.

A empresa revelou posteriormente que também afetou outros serviços e recursos, incluindo o Outlook, SharePoint Online e OneDrive for Business.”Estamos cientes dessas alegações e estamos investigando”, disse a Microsoft em comunicado. “Estamos tomando as medidas necessárias para proteger os clientes e garantir a estabilidade de nossos serviços.” Coma agências de notícias internacionais.

Compartilhar: