WEBINAR
Como o PAM permite conformidade com a LGPD

A estreia da Lei Geral de Proteção de Dados no Brasil será no dia 1º de agosto de 2021 e, independente de tamanhos e segmentos, as empresas precisam se adequar às políticas de privacidade de dados.

Desde janeiro deste ano, foram noticiados 8 grandes vazamentos de dados só no Brasil. Segundo o relatório publicado pela IBM, Cost of a Data Breach Report 2020, o país é o mais lento ao identificar e conter as violações dos sistemas críticos dentre os 17 países analisados. Enquanto a média global da percepção e do controle de vazamentos leva em torno de 280 dias, o Brasil demora 380 para executar o processo.

Quando o assunto é a implantação de automação da cibersegurança, os resultados brasileiros são alarmantes: o país ocupa o penúltimo lugar e 52% das organizações sequer deram entrada em algum mecanismo de automação para a defesa da rede de dados, em comparação à média mundial de 59% dos que já têm ou estão em vias de efetivação. 

Sua empresa está preparada para entrar em conformidade com a LGPD?

Com o prazo se esgotando, pode parecer mais difícil implementar ferramentas que cumpram as exigências do regulamento, certo? Mas não precisa ser assim. Só por adotar uma solução PAM, sua empresa reduz as chances de sofrer penalidades duras, como multas que podem chegar até R$ 50 milhões, a suspensão do banco de dados ou até mesmo a proibição do exercício das atividades. Pensando nisso, o senhasegura preparou um webinar para explicar a importância da proteção de dados pessoais, assim como os requisitos da LGDP e explicar como uma solução PAM pode auxiliar sua empresa a proteger seus sistemas críticos e garantir conformidade com a lei de proteção de dados.

Palestrante

David Muniz

Especialista em segurança

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)