Líderes de óleo e gás fazem pacto de resiliência em cyber

Pela primeira vez, 18 organizações globais do ecossistema de petróleo e gás estão defendendo uma abordagem unificada para mitigar os crescentes riscos cibernéticos e prometendo promover a resiliência cibernética
Da Redação
25/05/2022

O Fórum Econômico Mundial informou hoje que os líderes das principais empresas de petróleo e gás estão propondo uma ação coletiva em favor da resiliência cibernética, unindo a indústria numa aliança para impedir ciberataques. A ação é uma resposta a grandes violações de segurança nos últimos dois anos que destacaram a vulnerabilidade da infraestrutura crítica. Na Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial de 2022, 18 empresas se reuniram para assumir um “Compromisso de Resiliência Cibernética”, em reconhecimento ao fato de que é necessária uma preparação muito mais coletiva.

Veja isso
Ataque atinge terminais de petróleo na Europa
Ataque atinge setor de óleo e gás na Alemanha

O compromisso visa a mobilizar todos para fortalecer a resiliência cibernética em todos os ecossistemas da indústria. As organizações que endossam o compromisso se comprometem a colaborar e tomar ações coletivas sobre resiliência cibernética. Lançada com o apoio de organizações engajadas na iniciativa Cyber ​​Resilience in Oil and Gas do Fórum Econômico Mundial, a iniciativa busca capacitar as organizações a tomar medidas concretas para aumentar a resiliência cibernética em seu setor.

As organizações que assumiram o compromisso são: Aker ASA, Aker BP, Aramco, Check Point Software Technologies, Claroty, Cognite, Dragos, Ecopetrol, Eni, EnQuest, Galp, Global Resilience Federation, Maire Tecnimont, Occidental Petroleum, OT-ISAC, Petronas, Repsol e Suncor.

Os pilares do compromisso estão descritos em
“hxxps://initiatives.weforum.org/cyberresiliencepledge/”

Compartilhar:

Últimas Notícias