Lenovo, HP e Acer farão PC com processador russo

Da Redação
18/01/2022

O Ministério do Desenvolvimento Digital da Rússia convidou a HP,  a Lenovo e a Acer para fabricarem, até o final de 2022, um lote de 50 mil laptops com o processador produzido pela empresa russa Baikal Electronics. As autoridades esperam desta forma trazer gradualmente os processadores russos para o mercado não regulamentado (civil), mas os especialistas afirmam que esses dispositivos podem ser utilizados, na melhor das hipóteses, no setor público e nos organismos policiais e de inteligência.

Veja isso
Aliança EUA-Rússia já amedronta os cibercriminosos
IBM diz que processador previne fraude em tempo real

O Ministério informou que 10 mil unidades estão previstas para serem adquiridos da HP e o restante de Lenovo e Acer, diz Eldar Murtazin, analista líder da Grupo de Pesquisa Móvel da Rússia. Em geral, segundo o especialista, essa etapa é apenas o começo do caminho para a substituição de importações.

O Ministério fez reuniões separadas com esses fabricantes e publicou as informações sobre o assunto em 15 de dezembro de 2021. O projeto do órgão é mais ambicioso: “A produção industrial está prevista para 2023. Os equipamentos estrangeiros devem ser totalmente compatíveis com a microeletrônica nacional”, confirmou o Ministério do Desenvolvimento Digital, acrescentando que os fabricantes estrangeiros usam, entre outras coisas, processadores de arquitetura ARM, que também estão sendo desenvolvidos na Federação Russa. Lenovo e HP se recusaram a comentar o diálogo com as autoridades russas, observando que é muito cedo para falar sobre detalhes segundo o jornal Kommersant. A Baikal Electronics informou que participará do experimento.

Em um futuro próximo, o Ministério do Desenvolvimento Digital deve discutir o experimento com representantes de sistemas operacionais russos – como, por exemplo o Astra Linux -, líderes de TI e das maiores redes varejistas, diz a ata da reunião. O Ministério planeja no primeiro trimestre de 2022 lançar um experimento para instalar sistemas operacionais russos em pelo menos 100.000 laptops e computadores que são enviados para a Rússia sem sistema algum – vendidos com desconto de 5% a 24% dependendo da loja. Se for bem sucedido, o plano será ampliado para 1 milhão de instalações por ano.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar: