hacker-3480124_640.jpg

Russo que roubava dados de cartões se declara culpado

Da Redação
27/01/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Aleksei Burkov, de 29 anos, admitiu ter criado o Cardplanet, site de venda de dados de cartões de pagamento, no qual bandidos compravam e vendiam detalhes de cartões roubados

hacker-3480124_640.jpg

Um jovem russo que operava no mercado de venda de dados roubados de cartões de pagamento se declarou culpado das acusações apresentadas por promotores norte-americanos. Aleksei Burkov, acusado de fraude e uso de dispositivos de acesso para cometer invasão de computadores, roubo de identidade, fraude e lavagem de dinheiro, admitiu culpa perante o juiz Thomas Selby Ellis, do Tribunal Distrital Federal do Leste da Virginia, disse em nota o Departamento de Justiça dos EUA na semana passada.

Burkov, de 29 anos, admitiu ter criado o Cardplanet, site que facilitava a venda de dados de cartões de pagamento, tanto de débito quanto de crédito, no qual bandidos compravam e vendiam detalhes de cartões bancários roubados. Detido e acusado em novembro passado, os promotores estimaram que o site foi responsável por aproximadamente US$ 20 milhões em fraudes.

Burkov também administrou, disseram os promotores, um escritório de crimes cibernéticos exclusivo para convidados, no qual malwares, esquemas de lavagem de dinheiro, fraudes em cartões de crédito e hackers eram promovidos, mediante o pagamento de um aluguel mensal.

“Para participar do fórum de crimes cibernéticos de Burkov, os novos membros precisavam de ‘carta de apresentação’ de pelo menos três membros antigos para ‘garantir’ sua boa reputação entre os cibercriminosos,  além de pagarem uma quantia em dinheiro, normalmente US$ 5 mil como seguro”, disseram, sob a condição de anonimato, alguns participantes, informam agências de notícias.

De acordo com os promotores federais, os crimes foram praticados por Burkov por longos anos. As autoridades americanas pediram a extradição dele em 2017, depois de ter fugido para Israel em 2015. Depois de esgotar todas as possibilidades de recorrer da extradição no sistema penal israelense, Burkov foi enviado aos EUA para julgamento em novembro do ano passado e agora finalmente foi condenado por seus crimes. Ele deve pegar 15 anos atrás das grades, embora os tribunais normalmente emitam sentenças mais leves quando o criminoso se declara culpa e evita longos processos e julgamento.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest