Japão muda leis para contra-atacar no ciberespaço

Da Redação
11/12/2022

O Japão está pronto para mudar sua legislação de modo que possa tomar melhores medidas para se defender no ciberespaço: o governo pretende quer monitorar invasores em potencial e atacar seus sistemas assim que forem estabelecidos sinais de risco potencial. As leis atuais tornam extremamente difícil essas medidas.

Veja isso
Japão sofre um ciberataque de grupo APT da Rússia
Ataque paralisa no Japão a Toyota, a Daihatsu e a Hino

O plano é destacado em uma visão geral das propostas de revisões da Estratégia de Segurança Nacional, que foram submetidas à coalizão governante no último sábado. As revisões devem ser aprovadas pelo gabinete antes do final do mês.

As autoridades japonesas planejam realizar “defesa cibernética ativa” a começar de 2023: está prevista a adoção de emendas à legislação que permitirão aos especialistas japoneses conduzir uma luta preventiva contra hackers. A informação foi divulgada pelo jornal Nikkei .

As autoridades japonesas estão introduzindo esta medida para prevenir ameaças cibernéticas, o que reduzirá os riscos para os sistemas de informação utilizados na economia japonesa. De acordo com a legislação vigente, tais medidas podem ser aplicadas apenas em resposta a emergências após um ataque cibernético.

A publicação assinala que no Japão, até ao final de 2022, deverão ser apresentados e atualizados três documentos sobre segurança nacional – a estratégia de segurança nacional, as normas do programa de defesa nacional e o programa de defesa de médio prazo.

Compartilhar: