5g

Introdução da 5G irá expandir superfície de ataques, diz especialista

Especialista da Nokia diz que 5G trará novos recursos de segurança, mas, ao mesmo tempo, ampliará área de ataques
Da Redação
16/11/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

As redes 5G irão incorporar novos recursos de segurança, mas, ao mesmo tempo, devem ampliar a superfície de ataques. Esse foi o alerta feito pelo diretor de inteligência de ameaças da Nokia, Kevin McNamee, durante painel no congresso de segurança virtual (ISC)², que acontece até quarta-feira, 18, nos Estados Unidos.

McNamee explorou as implicações de segurança com a introdução da tecnologia móvel 5G, destacando cinco maneiras principais por meio das quais expandirá a superfície de ataques. “A 5G está trazendo muito para a mesa em termos de novos recursos de segurança, mas também [quero] mencionar o lado negativo — a superfície de ataque.”

A primeira maneira pela qual a 5G está ampliando a superfície de ataque se deve ao enorme crescimento de dispositivos IoT, disse ele. “Os dispositivos IoT são [frequentemente] vulneráveis, desprotegidos e sem patches. E, com 5G, mais estão por vir. Se eles estiverem lá fora e forem vulneráveis ​​e visíveis em diferentes partes da rede, serão hackeados e causarão problemas.”

Veja isso
EUA publicam estratégia de segurança para a operação de redes 5G
5G Americas alerta para desafios de segurança que 5G trará

Outro problema de segurança trazido pela 5G é o que McNanee chamou de “computação de borda multiacesso”. “Com a computação de borda multiacesso, você tem milhões de dispositivos acessando data centers ou espalhados pela cidade, e isso pode se tornar um grande desafio em termos de gerenciamento, monitoramento e resposta a incidentes.” “Portanto, quem quer que esteja operando essas nuvens de borda de acesso múltiplo deve considerar como elas são gerenciadas e monitorá-las para garantir que estejam funcionando corretamente e não sofrendo abusos”, acrescentou McNamee.

Ele citou também a exploração da largura de banda 5G por meio de ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS – Distributed Denial of Service). “Se você estiver executando muitos dispositivos móveis, há potencial para os invasores expandirem sua largura de banda de ataque DDoS”, disse McNamee. “Isso aumenta o nível de como nos defendemos contra ataques distribuídos de negação de serviço quando há tantos dispositivos por aí.”

O quarto problema de segurança apontado pelo diretor da Nokia diz respeito à visibilidade potencial de endereço IP 5G. “Com a 5G, se mudarmos para o padrão IPv6, haverá o potencial de aumentar a visibilidade. Se um dispositivo é visível da internet e da rede, aumenta a superfície de ataque. Portanto, a visibilidade se torna uma coisa crítica.”

Por fim, ele disse que o aumento da superfície de ataque está relacionado ao “fatiamento”, ou seja, a segregação/isolamento de usuários e aplicativos durante ataques. “O fatiamento concentra a atenção em certas partes da rede, e isso pode ser explorado por ciberataques”, concluiu McNamee.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório