Indra renova sua certificação ISO 31000

Da Redação
05/07/2024

Indra, uma das principais companhias globais de tecnologia e consultoria, com sede na Espanha, renovou sua certificação ISO 31000, concedida pela Associação Espanhola de Normalização e Certificação (AENOR). O selo garante que a empresa cumpre as melhores práticas em gestão de riscos externos e internos, incluindo riscos financeiros e de segurança, além daqueles relacionados a questões ambientais, sociais e de governança (ESG). Esse reconhecimento também se estende à Minsait, filial de transformação digital e TI da companhia, bem como às demais empresas controladas pelo grupo Indra ao redor do mundo.

A certificação ISO 31000 comprova não só a eficácia do Sistema de Controle e Gestão de Riscos da empresa, como também seu alinhamento ao plano estratégico ‘Leading the Future’, conforme apontado pela própria auditoria da AENOR. Como parte de sua filosofia de melhoria contínua, a Indra também realizou, pela primeira vez, um estudo de cultura de risco, que contou com o apoio do CEO da companhia, José Vicente de los Mozos, na avaliação e na identificação de pontos de melhoria e conscientização dos profissionais que integram a organização.

“Avaliar nossa cultura de risco é um passo essencial para detectar eventuais ameaças, superar desafios, identificar oportunidades de sucesso e fomentar uma postura proativa entre os colaboradores, além de otimizar a conformidade da empresa ao atual contexto socioeconômico. Nosso modelo de operação não pode ficar estagnado e, por isso, adotamos nosso novo plano estratégico, ‘Leading the Future’, que incentiva os funcionários a estarem atentos e alertarem seus líderes, caso identifiquem qualquer nova ameaça ou risco em suas respectivas áreas de atuação”, enfatizou o CEO da Indra.

Já no que se refere às adaptações aos futuros requisitos legais exigidos pela Diretiva de Relatórios de Sustentabilidade Corporativa (CSRD) da União Europeia e pelas Normas Europeias para Relatórios de Sustentabilidade, a companhia implementou com sucesso, ainda de acordo com a auditoria da AENOR, um processo de análise de risco capaz de reportar de maneira eficiente e completa todas as informações ligadas ao âmbito da sustentabilidade, além de atualizar, fortalecer e unificar requisitos vinculados ao reporte de dados sociais, ambientais e de governança. Esses aspectos referentes à pauta ESG vêm ganhando cada vez mais importância para empresa e, atualmente, já representam um terço dos riscos identificados internamente.

O envolvimento da Unidade de Riscos Globais da Indra em diversas áreas e expedientes de governança da empresa, como na elaboração de seu novo plano estratégico e na adaptação à diretiva CRSD, demonstra o caráter inclusivo do modelo de gestão de riscos que vêm sendo aplicado pela companhia. Além disso, a equipe de auditoria da AENOR também destacou o elevado grau de conformidade do modelo de gestão de riscos adotado pela Indra nas diferentes localidades de atuação da companhia, por meio de um mapa de riscos para cada país, incluindo Itália, Colômbia, México e Brasil.

Em suma, o principal objetivo da empresa com uma gestão de riscos de excelência é identificar e avaliar adequadamente as eventuais ameaças existentes, a fim de implementar medidas eficazes e antecipadas, voltadas à mitigação dos potenciais impactos que envolvam suas metas de negócio e reduzindo, assim, a probabilidade de ocorrências e incidentes danosos às aspirações da companhia.

Compartilhar: