Incidentes de segurança na nuvem sobem 154% em um ano

Relatório aponta que organizações continuam a priorizar a detecção e monitoramento de ameaças, com foco em vulnerabilidades conhecidas e padrões de comportamento malicioso, em detrimento da prevenção
Da Redação
09/05/2024

Os incidentes de segurança em ambientes de nuvem registraram crescimento significativo neste ano, saltando de 24% em 2023 para 61%, o que representa um aumento de 154%, de acordo com o Relatório Global de Segurança na Nuvem de 2024, da Check Point Software

A edição deste ano da pesquisa revela uma tendência preocupante: enquanto a maioria das organizações continua a priorizar a detecção e monitoramento de ameaças, com foco em vulnerabilidades conhecidas e padrões de comportamento malicioso, apenas 21% enfatizam a prevenção. Trata-se de um índice preocupante, haja vista a necessidade de acompanharem os rápidos avanços tecnológicos, incluindo a velocidade do DevOps e a implementação de novos códigos e aplicações na nuvem.

A pesquisa destaca uma realidade assustadora: embora os ataques à nuvem estejam aumentando, apenas 4% das organizações revelaram ser capazes de mitigar os riscos com facilidade e rapidez. A maioria (96%) expressou preocupação sobre a sua capacidade de lidar com tais riscos. Além disso, 91% dos entrevistados estão alarmados com o aumento de ameaças cibernéticas mais sofisticadas, incluindo riscos desconhecidos e ataques de dia zero, que não podem ser detectadas por meio de ferramentas de segurança convencionais.

“Os dados falam muito sobre a necessidade urgente das organizações mudarem o foco para a implementação de medidas de prevenção de ameaças baseadas em inteligência artificial (IA)”, afirma Itai Greenberg, chief strategy officer da Check Point Software. “Ao adotarem uma arquitetura de segurança consolidada e aprimorar as operações de segurança colaborativas, as empresas podem enfrentar preventivamente ameaças emergentes, garantindo um ambiente de nuvem mais seguro e resiliente.”

Outros destaques apontados no relatório de segurança na nuvem de 2024 referem-se a:

  • Escalada de incidentes na nuvem: houve um aumento de 154% nos incidentes de segurança na nuvem na comparação com o ano passado, com 61% das organizações relatando interrupções significativas.
  • Preocupações profundas com a gestão de riscos: a maioria (96%) dos entrevistados relatou preocupações sobre a sua capacidade de gerir eficazmente os riscos da nuvem, refletindo uma escalada considerável em relação aos anos anteriores.
  • Adoção rápida de tecnologias de IA: com 91% das organizações dando prioridade à IA para melhorar a sua postura de segurança, o foco mudou para o aproveitamento da IA para a prevenção proativa de ameaças.
  • CNAPP para prevenção aprimorada: apesar do cenário crescente de ameaças, apenas 25% das organizações implementaram totalmente plataformas de proteção de aplicativos nativos da nuvem (CNAPP). Isso sublinha a necessidade urgente de soluções abrangentes que vão além das ferramentas tradicionais.
  • Complexidade na integração de segurança na nuvem: apesar do potencial para soluções simplificadas, 54% dos entrevistados enfrentam desafios na manutenção de padrões regulatórios consistentes em ambientes de múltiplas nuvens (multicloud). Além disso, 49% enfrentam dificuldades para integrar serviços em nuvem em sistemas legados, muitas vezes complicados por recursos de TI limitados.

Veja isso
Malware para Linux mira servidor em nuvem mal configurado
Hackers do grupo APT29 adaptam táticas para acesso inicial à nuvem

As entrevistas para o Relatório de Segurança na Nuvem de 2024 foram conduzidas pela Cybersecurity Insiders em abril e ouviu 813 especialistas em segurança cibernética globalmente. Os participantes representam um grupo diversificado de executivos, profissionais de segurança de TI e funcionários de uma ampla variedade de setores e portes de empresas. O estudo buscou uma análise aprofundada de como as organizações que utilizam serviços em nuvem estão enfrentando obstáculos de segurança e priorizando avanços, como a IA, nessa área crítica.

Os entrevistados para a pesquisa sobre segurança na nuvem estão distribuídos da seguinte maneira: América do Norte (82%), Europa/Oriente Médio/África (EMEA) (11%), Ásia-Pacífico (6%) e América Latina (1%).

Para acessar o relatório completo e obter os insights sobre as tendências de segurança na nuvem clique aqui.

Compartilhar:

Últimas Notícias