I.A. ajuda. Mas como manter modelos atualizados?

Da Redação
03/06/2024

Como os profissionais de segurança estão adotando a IA generativa (GenAI) nas suas práticas? Para conhecer a resposta, a Check Point Software encomendou uma pesquisa sobre o assunto à Vanson Bourne, e os resultados são reveladores: embora mais de 70% dos entrevistados confiem na capacidade de defesa da cibersegurança das suas empresas, 89% reconhecem que incorporar pessoal qualificado continua sendo um desafio.

Veja isso
CISOs dizem não ter recursos suficientes para frear ameaças
Check Point alerta para ataques contra VPNs de redes corporativas

A lacuna em profissionais treinados em segurança cibernética afeta seriamente a eficácia com que as organizações podem estabelecer um sistema de defesa adequado contra o crime cibernético baseado em IA. Na verdade, 98% dos entrevistados indicaram que teve um “impacto” nas suas operações de segurança e 40% destacaram um “forte impacto”.

É evidente que nenhuma empresa, seja ela grande ou pequena, pode ignorar o impacto potencial de um ataque cibernético. Pela mesma razão, os entrevistados alegaram recorrer a ferramentas alimentadas por IA para aumentar a segurança cibernética, incluindo resposta a incidentes, proteção contra malware e defesa contra perda de dados.

A pesquisa demonstrou que 97%-99% das empresas já utilizam ferramentas alimentadas por IA, com uma mudança significativa em direção à IA generativa para uma estratégia de segurança abrangente, e também adotaram esta tecnologia para um propósito estratégico.

Paradoxo da lacuna de competências e IA

A IA generativa pode ser uma grande aliada para preencher a lacuna de competências em segurança cibernética, pois oferece uma forma de aumentar as capacidades existentes e melhorar a eficiência (de acordo com 98% das empresas), especialmente em setores com elevada procura de competências em cibersegurança.

Em relação a IA, IA generativa, machine learning e deep-learning, a maioria dos entrevistados concordou que as ferramentas de IA melhorarão sua eficiência, aumentarão suas taxas de resposta a incidentes e ajudarão a preencher lacunas de competências em suas empresas. O compromisso de integrar a IA generativa na segurança cibernética é claro: 90% das empresas dão prioridade aos investimentos em ferramentas GenAI, refletindo uma mudança estratégica em direção a soluções inovadoras de segurança cibernética.

Embora as perspectivas sejam otimistas, as preocupações e os desafios permanecem. As organizações destacam a importância de manter os modelos de IA atualizados e, ao mesmo tempo, estar cientes dos desafios, como garantir a conformidade com as regulamentações de dados.

O caminho para um cenário de segurança GenAI integrada oferecerá aos gerentes de segurança recompensas e desafios. No entanto, é evidente que a IA generativa ajudará a transformar as organizações à medida que os fornecedores de cibersegurança incorporam maior inteligência. A adoção da GenAI com visão estratégica abrirá caminho para um futuro digital mais seguro e resiliente.

Compartilhar: